Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Internet mais lenta e oscilante: isolamento deixa pessoas conectadas por mais tempo

Operadoras afirmam que tem se esforçado para manter estabilidade nos serviços
27/03/2020 13:07 - Daiany Albuquerque


 

Quem está em casa em isolamento social por conta da pandemia do Covid-19, o novo coronavírus, e tem acessado a internet percebeu que nos últimos dias a conectividade tem sido mais lenta e até oscilantes em alguns momentos. A situação tem sido notada por clientes de todas as operadoras e segundo as empresas, isso tem relação com a quantidade de pessoas usando a rede ao mesmo tempo.

Para o fisioterapeuta Mário Lucas Vidal, de 26 anos, a situação ficou pior nesta semana. “Depois de uns três dias que estou em casa, percebi que a minha internet que é de fibra ótica ficou um pouco mais lenta e acredito ser por conta da quarentena, atrapalha e estou tentando ligar na empresa para verificar a situação porque o boleto no fim do mês chega com o mesmo valor com quarentena ou sem”.

De acordo com o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), as prestadores de serviço estão permanentemente monitorando o uso das redes de acesso e transporte para garantir a conectividade e acesso a serviços digitais.

Em nota, o sindicato informou que o monitoramento “permite, se necessário, implementar rotinas de contingenciamento e redirecionamento de tráfego para mitigar eventuais situações de congestionamento”.
Muito usuários tem reclamado do serviço, principalmente, durante a tarde e noite. A falta de conectividade prejudica, principalmente, as pessoas que tem trabalhado em sistema de home office e mesmo quem ainda está atuando presencialmente. “Essa semana não estava muito boa principalmente a tarde. Cheguei a ficar mais de 40 minutos sem internet nesta semana”, contou a assistente administrativa Renata Nascimento, de 37 anos, que não parou de trabalhar durante a quarentena.

“Não consigo mandar fotos, vídeos, não consigo ver nem adicionar nada do que me marcam nas redes sociais. Vídeos e fotos pelo whatsapp ficam carregando e nunca baixam”, contou a fisioterapeuta Lucimara Paniago, 34 anos.

Entretanto, o SindiTelebrasil afirmou que ainda não registrou problemas. “A capacidade das redes de telecomunicações não é infinita, mas as empresas estão envidando todos os esforços para manter a segurança, a estabilidade e o funcionamento das redes e, até o momento, não foram identificados registros de problemas”, alega o comunicado.

“O SindiTelebrasil e as empresas se colocaram à disposição do Governo Federal e da Anatel para detalhar e discutir novas medidas complementares que se fizerem necessárias e para colaborar com o Executivo Federal ou com eventuais Comitês e Grupos de Crise”, completou a entidade.

As medidas de isolamento social foram tomadas por conta do avanço do novo coronavírus em quase 170 países de todo o mundo. Em Mato Grosso do Sul, até a quinta-feira (26) havia 25 casos confirmados da doença, segundo que 23 são em Campo Grande, um em Sidrolândia e outro em Ponta Porã. 

Até o momento não há nenhuma morte pela doença no Estado, entretanto um dos pacientes da Capital está internado em estado grave, no Proncor, e a previsão é de que ele fique cerca de 30 dias internados. Ele deu entrada na unidade no dia 17 de março.

Colabourou Súzan Benites e Bruna Aquino.

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.