Cidades

Bárbaro

Investigação que apura morte
de manicure tem reviravolta

Polícia prende suspeita de 19 anos e outra pessoa fugiu para Bahia

RODOLFO CÉSAR E GLAUCEA VACCARI

20/01/2016 - 17h20
Continue lendo...

Os policiais responsáveis pela investigação da morte da manicure Jennifer Nayara Guilhermete, 22 anos, apresentaram as duas suspeitas do crime nesta quarta-feira (20) à tarde. 

Mas uma reviravolta aconteceu logo depois que o delegado que preside o inquérito, Alexandre Amaral Evangelista, titular da 2ª Delegacia de Polícia, em Campo Grande, concedeu entrevista à imprensa.

Emilly Karoliny Leite, 19 anos, presa suspeita de participação no assassinato decidiu dar uma versão para o crime diante de toda a imprensa presente. Antes, ao ser ouvida pelos policiais, ela declarava que só se pronunciaria na Justiça Estadual.

As declarações fizeram com que o caso, que denotava estar em fase adiantada de investigação, ter uma reviravolta. 

A jovem afirmou que uma adolescente de 16 anos que vinha colaborando com a Polícia Civil e que ajudou a identificar Emilly e Gabriela Antunes Santos, 22 anos, suspeita de efetuar os dois disparos em Jennifer e atualmente foragida da Justiça, teria participação direta no homicídio.

"(A Gabriela) me chamou para sair e não comentou o que ia fazer. Falou que ia conversar (com Jennifer) e imaginei que ia dar uma surra e deixar ela ir embora a pé (da cachoeira conhecida como Ceuzinho). Nem conhecia a Jennifer. Não sabia que tinha arma no carro. Sou vítima da situação", declarou.

Surpreso, o delegado voltou a falar com a imprensa e disse que faria uma nova acareação para confrontar as versões. "Pode ter mais pessoas que podem ser indiciadas"

INDICIAMENTO

O delegado titular da 2ª DP, Alexandre Amaral Evangelista, informou que o inquérito policial aberto é de homicídio duplamente qualificado por emboscada e motivo torpe contra Emilly Karoliny Leite e Gabriela Antunes Santos, que também está sendo indiciada por porte ilegal de arma.

Na casa de Gabriela foram encontrados também três cartuchos calibre .38. A mãe da jovem afirmou, em depoimento, que ela assumiu o crime e decidiu fugir para a Bahia.

"Vamos pedir o apoio da polícia de outros estados para localizá-la", explicou Evangelista, que está trabalhando em conjunto com o delegado Márcio Shiro Obara, titular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios.

Até agora, a adolescente de 16 anos, que tem grau de parentesco com Gabriela, era arrolada como colaboradora. Diante da versão de Emilly, pronunciada na tarde desta quarta  primeiramente para a imprensa, a menor pode ser indiciada.

Emmily cumpre prisão temporária (30 dias), enquanto Gabriela é foragida.

Gabriela Antunes Santos, suspeita de efetuar disparos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MOTIVAÇÃO

A Polícia Civil apurou que o homicídio aconteceu porque Gabriela e Jennifer tinham uma briga há cerca de quatro anos. 

A manicure havia namorado o atual marido de Gabriela e isso ainda era motivo de ciúmes. O ex-namorado da vítima e marido da suspeita do homicídio não foi ouvido pela polícia.

Conforme apurado no inquérito, primeiramente Gabriela foi até Jennifer, que estava na casa de uma cliente no bairro Vida Nova. O argumento utilizado para a vítima entrar no carro e sair do local era de que Gabriela queria resolver a briga que as duas tinham há quatro anos.

Foi até mencionado que as duas seguiriam para a casa de uma outra pessoa, que mora nas proximidades da avenida Euler de Azevedo, sentido a cachoeira Ceuzinho. Nessa residência, seria o local para haver a intermediação sobre a briga.

Emilly e a adolescente de 16 anos, que é sobrinha do marido de Gabriela, estavam no carro, junto com as duas outras mulheres.

De acordo com a polícia, quando Emilly e Gabriela eram adolescentes, as duas já agrediram uma jovem e rasparam a cabeça da vítima por conta de ciúmes.

ROTA DO TRÁFICO

PM morto por colegas do Choque tentava roubar drogas

A informação consta do Boletim de Ocorrência registrado na delegacia pelo comando do Batalhão de Choque. Outro PM foi preso na operação

22/06/2024 12h30

O camo Almir Figueiredo atuava no 10º Batalhão da PM e morreu em confronto do o Batalhão de Choque nesta sexta-feira

O camo Almir Figueiredo atuava no 10º Batalhão da PM e morreu em confronto do o Batalhão de Choque nesta sexta-feira

Continue Lendo...

O cabo da PM Almir Figueiredo Barros Júnior, 47 anos,  foi morto pelos colegas de farda do Batalhão de Choque durante uma tentativa para roubar drogas de uma quadrilha rival na tarde desta sexta-feira (21), na região oeste da Capitqal. A informação consta do Boletim de Ocorrência registrado pelo próprio comando do grupo de elite da PM de Campo Grande. 

Mas, o que intriga os investigadores é que foram encontrados menos de cem quilos de maconha no veículo interceptado pelo polical morto, que estavam sem fardamento. Por conta do baixo valor destes entorpecentes, os investigadores tentam agora descobrir a motivação para que ele interceptasse e roubasse um veículo com volume irrisório de maconha. 

Nesta mesma operação, o sargento Laércio Aves dos Santos, 48 anos, foi preso e um jovem  também acabou sendo morto. Jorcinei Junior Sabala Gil da Silva, de 25 anos, e o PM Almir teriam reagido a tiros e por isso acabaram sendo baleados, segundo a informação do Boletim de Ocorrência. Os dois policiais atuavam no décimo batalhão da PM, que atende aa região sul de Campo Grade. 

Neste documento, a polícia informa que o serviço de inteligência do Batalhão de Choque tinha a informação de que uma carga de drogas estaria chegando a Campo Grande pela BR 262. A investigação apontava que assim que chegasse ao Bairro Indubrasil, essa droga seria roubada por uma quadrilha rival.

E, durante as diligências foi possível observar a aproximação de um caminhão que era seguido de perto por um Toyota Corolla prata, que é o carro do sargento Laércio.

Na sequência, os ocupantes do Corolla, ainda com o veículo em movimento, sinalizaram para que o motorista do caminhão estacionasse. Em seguida, com o caminhão parado na Rua Barra dos Bugres, o motorista foi levado a bordo de um veículo sedan branco, cujo proprietário não foi identificado.

O caminhão, então, deixou o local escoltado pelo Corolla do sargento. O BO informa ainda que os envolvidos, até o momento não identificados, se dirigiram a uma chácara situada na Rua Claudio Augusto, nº 10, Vila Romana. No local,cortaram uma chapa metálica do caminhão, revelando a existência de um fundo falso no veículo.

Diante disso, os integrantes do Choque entraram na chácara, mas, ao notarem a presença policial, os cinco suspeitos correram no sentido a uma vegetação. 

Conforme o Boletim de Ocorrência, "dois dos fugitivos foram interceptados pelo cerco policial, e, ao contrário do esperado, empregaram armas de fogo numa clara objeção às ordens emanadas. Que não restou alternativas aos policiais, senão o também emprego de armas de fogo para neutralizar a injusta agressão desencadeada pelos marginais". O documento não informa com quantos disparos os dois foram atingidos.

NÃO SABIAM QUE ERAM PMs

Na sequência, o BO reforça que "as equipes policiais não detinham qualquer esclarecimento sobre a qualificação dos envolvidos, contudo, durante o socorro médico, os feridos foram identificados como Almir Figueiredo Barros Júnior e Jorcinei Junior Sabala Gil da Silva". 

Os dois foram levados para atendimento médico na UPA do bairro Santa Mônica, mas não resistiram. E, depois deste socorro, os policiais retornaram à região do confronto e encontraram o segundo sargento Laércio Alves dos Santos às margens da BR-262. 

Ele estava acompanhado de um desconhecido, que conseguiu escapar assim que recebeu voz de prisão. “Laércio, ao ser questionado, negou participação nos delitos, porém não conseguiu explicar a presença de seu carro (Corolla) dando suporte aos marginais, inclusive o veículo foi apreendido estacionado no interior da chácara abordada”,  detalha o documento oficial. 

Os policiais ainda conseguiram identificar o proprietário da chácara, José Waldecir Coronel Farinha, que revelou a identidade de um dos fugitivos. Trata-se de Marciano da Encarnação, que escapou, mas deixou para trás seu carro, que foi apreendido.

SÓ ISSO? 

A não ser que a perícia localize mais entorpecentes escondidos no caminhão caçamba, a droga que seria roubada pelos dois PMs e seus comparsas resumia-se a 58 tabletes de maconha em um fundo falso e outros 59 tabletes em um pneu estepe, totalizando em torno de 90 quilos, que no Paraguai são vendidos por menos de R$ 10 mil.

Além desse baixo volume, o fato de o caminhão estar chegando a Campo Grande pela BR-262 é outra questão que intriga os investigadores, uma vez que esta rodovia está fora da rota da maconha. A BR-262, no trecho entre Campo Grande e Corumbá, geralmente é utilizada para o transporte de cocaína procedente da Bolívia.

No BO consta ainda a informação de que o motorista do caminhão, supostamente sequestrado, não foi encontrado pelas equipes policiais. 

A assessoria da PM agendou para a manhã de segunda-feira uma entrevista coletiva para revelar mais detalhes sobre a ocorrência. 
 

LOTERIA

Quina de São João sorteia neste sábado prêmio de R$ 220 milhões

Hoje também tem sorteio da Mega-Sena; prêmio de R$ 86 milhões

22/06/2024 12h30

Foto: Marcelo Camargo / Arquivo / Agência Brasil

Continue Lendo...

As apostas para a Quina de São João, com prêmio estimado em R$ 220 milhões, podem ser feitas até as 19h, em qualquer volante da Quina, nas casas lotéricas de todo o país e pelo aplicativo Loterias Caixa e no portal Loterias Caixa.

O sorteio do concurso 6.462, será realizado neste sábado (22), a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço da Sorte, em São Paulo, com transmissão ao vivo pelo canal da Caixa no YouTube e no Facebook das Loterias Caixa.

Caso apenas um apostador leve o prêmio de R$ 220 milhões e aplique todo o valor na poupança, receberá mais de R$ 1,2 milhão de rendimento no primeiro mês.

Cada aposta simples custa R$ 2,50. Para jogar, basta marcar de cinco a 15 números dentre os 80 disponíveis no cartão. Quem quiser, também pode deixar para o sistema escolher os números, opção conhecida como Surpresinha. Ganham prêmios os acertadores de dois, três, quatro ou cinco números.

Assim como em todos os concursos especiais das Loterias Caixa, a Quina de São João não acumula. Se não houver ganhadores na faixa principal, com acerto de cinco números, o prêmio será dividido entre os acertadores da 2ª faixa (quatro números) e assim por diante, conforme as regras da modalidade.

Mega-Sena

Também hoje, a Loterias Caixa sorteia prêmio da Mega-Sena acumulado em R$ 86 milhões. As seis dezenas do concurso 2.740 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço da Sorte, localizado na Avenida Paulista, nº 750, em São Paulo.

O sorteio terá a transmissão ao vivo pelo canal da Caixa no YouTube e no Facebook das Loterias Caixa. O prêmio da faixa principal está acumulado em R$ 60 milhões.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

O jogo simples, com seis números marcados, custa R$ 5.

*Com informações da Agência Brasil

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).