Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

JOVEM SEQUESTRADA

Emocionada, mãe de Carla canta no velório da filha: "Deus cuidará de ti"

Despedida foi marcada por comoção e revolta dos familiares
04/07/2020 10:32 - Gabrielle Tavares


 

Com lágrimas de tristeza e, ao mesmo tempo, a indignação de perder alguém que ama, familiares e amigos se despediram de Carla Santana Magalhães, de 25 anos, na manhã deste sábado (04). 

A jovem estava desaparecida desde o dia 30 de junho, quando foi sequestrada em frente a própria casa, e encontrada morta na sexta-feira (03). 

O velório que ocorreu ainda nas primeiras horas da manhã na Pax Mundial foi marcado com muita comoção, oração e canções de hinos evangélicos por parte da mãe de Carla.

A reportagem do Correio do Estado tentou conversar com familiares de Carla, um tio distante chegou a comentar que ela era muito próxima da mãe, mas que não a conhecia direito por morar em outra cidade. No entanto, a família mais próxima da jovem disse que não daria mais detalhes e pediu privacidade durante o momento de dor e luto. 

Carla e sua família eram bastante religiosos. O pastor que celebrou o culto de despedida estava abalado e disse que quando contou para sua filha que a jovem havia desaparecido, a criança o respondeu falando que era preciso ter fé, que Deus traria ela de volta.  

Antes do sepultamento, a mãe abraçada com o pai e o irmão de Carla, cantou o hino cristão para a filha “Deus cuidará de ti”. Com as mãos tremendo e a voz embargada pela emoção, a mãe recitou os versos da canção, “na dor cruel, na provação, Deus cuidará de ti; socorro dá e salvação, pois cuidará de ti”.

A família se despediu para sempre de Carla por volta das 9h no cemitério público, Santo Amaro, em Campo Grande.

Entenda o caso

Carla foi sequestrada no portão de casa na terça-feira (30) e encontrada morta nesta sexta-feira (03). O corpo foi deixado na mesma via em que ela residia, na Rua Nova Tiradentes, Bairro Tiradentes, em Campo Grande.  

A mãe estava dentro de casa quando ouviu a filha gritar em frente à residência, Carla disse que estava sendo roubada e colocada em um carro. A jovem havia saído de casa para ir ao supermercado com uma amiga que reside nas imediações.

A mãe da vítima ainda saiu no portão, mas já não encontrou a filha e também não conseguiu ver o carro no qual ela teria sido colocada. O celular dela, um chaveiro, o café comprado no mercado e os chinelos ficaram no chão.  

As reais circunstâncias em que a jovem foi assassinada são desconhecidas pelos investigadores, que agora reforçam a apuração em torno de nomes citados por familiares e amigos da vítima a fim descobrirem a autoria e a motivação do crime.

Relatos indicam que a jovem manteve, no ano passado, um relacionamento com um homem de 56 anos que não aceitava o fim do namoro. Antes de morrer, Carla supostamente estava em um relacionamento com outro homem, de 50 anos, fotógrafo. O namorado anterior vinha tentando retomar a relação, o que a vítima não aceitava. O delegado Carlos Deleno, da Homicídios, evitou falar sobre o andamento das investigações.

 

 

Felpuda


Embora faltem 26 dias para as eleições, a bolsa de apostas nos meios políticos já está em alta.

Dois nomes estão sendo apontados como favoritos para disputarem o segundo turno.

Isso acontecendo, há quem garanta que um deles receberia total apoio de antiga liderança e de todo o seu grupo, que hoje estão em lados opostos.

Vai longe o tempo em que o objetivo era tão somente o bem comum...