Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

Justiça já concedeu direito ao uso <br>de Canabidiol a 4 crianças no Estado

Medicamento à base de componentes da maconha é usado em doenças raras
07/08/2016 04:00 - DA REDAÇÃO


 

Quatro crianças em Mato Grosso do Sul  que precisam usar medicamento a base de canabidiol (CBD) - um dos 200 componentes da planta Cannabis sativa (maconha), enfrentam verdadeira batalha judicial e meses de espera até conseguir o remédio.

Porém apenas três pacientes com 3, 7 e 8 anos que vivem em Campo Grande, Fátima do Sul e Ponta Porã fazem uso do composto. A família do quarto paciente,  de 10 anos, do município de Pedro Gomes, aguarda decisão para que a criança comece a fazer uso do CBD. 

O processo demora em média oito meses e mesmo após a sentença as famílias ainda precisam lidar com a burocracia para importação, além da demora para liberação de verbas para compra do remédio que deve ser feito pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) e pelo município onde a criança reside.

O custo é alto, por isso em todos os casos as famílias procuraram a Justiça para garantir que o Estado e os municípios onde vivem forneçam o medicamento.

Doze seringas que podem durar em média um ano, custam aproximadamente R$ 12 mil - o preço é em dólar, cada um custa US$ 199 e a empresa cobra mais US$ 150 relativos aos trâmites de importação dos Estados Unidos e entrega na casa do paciente. 

*Leia reportagem, de Natalia Yahn, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Felpuda


A lista do Tribunal  de Contas de MS,  com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros  de quando exerceram cargos públicos,  está deixando  muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto  pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!