Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

BOLETIM COVID-19

Live Número 200 sobre a Covid-19 revela queda em dois indicadores importantes

Se mantidos indicadores podem apontar retração da doença em Mato Grosso do Sul
05/10/2020 11:45 - Rodrigo Almeida


Em live número 200 Secretaria Estadual de Saúde (SES) revela que taxa de contágio está em queda no estado. Boletim epidemiológico da Covid-19 mostra estabilidade da doença em Mato Grosso do Sul, com 270 novos casos e 14 mortes nas últimas 24h. 

Contabilidade fechada às 19h de domingo (04), aponta estado com 71.993 casos e 1365 mortes desde o março, quando a pandemia se intensificou no Brasil. 

Apesar de queda nos números dia a dia, a média móvel de casos e mortes segue em patamares consideravelmente altos. São 540 casos por dia nos últimos sete dias em comparação e 12,4 óbitos. 

Campo Grande segue sendo a cidade mais afetada pela pandemia. O boletim revelou 171 novos casos de residentes da Capital entre os 270 do estado. Também foi a cidade com o maior número de mortos, 7 entre os 14. 

Desde março, a Cidade Morena tem o pior cenário disparado. Foram contabilizados até aqui, 31 750 notificações positivas na cidade e 594 mortes de residentes, número quatro vezes maior que o de Dourados, segunda cidade na lista com 7531 positivos e 97 óbitos. Corumbá é a terceira com 4 196 casos e 137 óbitos. 

Dentre os novos casos, Dourados e Corumbá seguem estáveis atrás da Capital 27 e 16 novos casos respectivamente. Naviraí com 11 e Aquidauana com 7 fecham a lista das cidades que mais apresentaram positivos nesta segunda. 

Além das sete mortes de residentes de campo Grande, Cassilândia, Água Clara, Chapadão do Sul, Corumbá, Ivinhema, Paranaíba e Ponta Porã apresentaram um óbito cada. 

Apesar de comemorar a queda da taxa de contágio e da taxa de letalidade que caiu de 1,9 para 1,8%, a secretária-adjunta, Christinne Maymone, alerta que ainda não temos estabilidade total da doença. 

Em relação à ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), as Macrorregiões de Campo Grande e Dourados seguem com os piores índices, com 71 e 71% de ocupação respectivamente. 

 
 

Felpuda


A futura composição  dos 29 vereadores  em Campo Grande poderá ser diferente  da que foi oficializada, segundo o que  se tem ouvido,  com certa frequência, nas rodinhas de conversas dos meios políticos.  

Nova distribuição  das cadeiras poderá ocorrer e, assim, quem está prestes a entrar com pompa e circunstância poderá nem passar pela porta de entrada  e tomar posse de cadeira  para chamar de sua.  

O caldeirão está fervendo.