Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Em dia de lockdown, igreja faz aglomeração

Primeiro domingo de lockdown tem apoio de maioria das igrejas
19/07/2020 13:12 - Rodrigo Almeida


A reportagem do Correio do Estado rodou pela cidade para verificar se os cultos estavam seguindo as leis sancionados pelo prefeito Marcos Trad (PSD), neste primeiro fim de semana de lockdown.

Passamos por mais de 30 igrejas, das maiores, como a Catedral da Fé da Igreja Universal do Reino de Deus na Av. Mato Grosso, com capacidade para 5 mil fiéis, até as menores, como a Assembleia de Deus Missões Setor 19, na vila Aimoré, com lotação máxima para 40 pessoas.

Pelo menos, as medidas adotadas pela prefeitura pareciam surtir efeito na manhã de domingo. A falta de linhas de ônibus podem ter desestimulado aqueles que contavam com o transporte público para ir às celebrações.

Comunidade Cristã Aliançados

Nenhum dos estabelecimentos se mostraram lotados, exceto a Comunidade Cristã Aliançados (CCA). Havia uma grande quantidade de carros, no culto das 8h e não houve diminuição na cerimônia seguinte, realizado às 10h. Ali foram marcados quatro cultos para este fim de semana.

Conversamos com o Pastor Allan que disse seguir todas as recomendações de biossegurança. O que pôde ser observado é que todas as pessoas usavam máscaras “Se não estiver de máscara não entra”, afirmou o representante.

Lá, segundo ele, realizou-se um culto destinado ao público adolescente, no sábado, e, além dos dois da manhã de domingo, 19, ainda estava marcado um para as 17h.

De acordo com as redes sociais da igreja, eles afirmam tomar todas as medidas para evitar aglomerações, também aconselhavam aos portadores de sintomas e pessoas pertencentes ao grupo de risco a ficarem em casa.

O pastor diz que o local, na rua Vicente Solari, Vila Bandeirante, tem capacidade para 900 pessoas sentadas, e os 30% de lotação estava sendo respeitados. A impressão é de que havia mais. Os fiéis ocupavam assentos alternados no salão.

A reportagem tentou contato com o pastor para confirmar o número de presentes, mas ele não atendeu às ligações.

REPORTAGEM:

Ao chegar lá conversamos com um fiel, antes de entrar no culto. Apesar de descer do carro sem máscara e tampouco carregá-la em mãos, ele disse que todos respeitavam os protocolos de segurança. 

O lugar foi alvo de polêmicas na última semana quando fiéis vazaram imagens em que o distanciamento não era respeitado.

FIEL: 

O contador Diego Ritter é católico e não perde a missa de domingo. Ele costuma ir à igreja São João Bosco que agora está fechada.

 “O padre disse que uma pessoa havia testado positivo e com o decreto, ele resolveu interromper a celebração presencial por dois fins de semana” explica.

Agora, ele diz ir até à igreja, Cristo Luz dos Povos. Localizada na Av. Bandeirantes, a igreja não apresentava aglomeração na manhã de domingo. O contador afirma que, desde o início da pandemia, “as igrejas católicas sempre levaram muito a sério os protocolos de biossegurança”.

VATICANO:

Por um tempo a Itália, foi o epicentro da Covid-19 na Europa. Isso ligou um grande alerta no Vaticano, um Estado independente, situado em Roma, capital italiana. O Papa pregou por cerca de 60 dias em cerimônias online.

 

 
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.