Clique aqui e veja as últimas notícias!

IMBRÓGLIO

Lojistas pedem reabertura de escolas particulares e atacam Ministério Público

CDL alega que cidades do interior retomaram aulas e que a Capital recebe grande volume de pacientes de outros municípios; secretário nega
01/09/2020 09:16 - Adriel Mattos


A Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande (CDL-CG) pediu a reabertura das escolas particulares e criticou o Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPMS).

Em nota divulgada na tarde de ontem, segunda-feira (31.08), a entidade alegou que promotores fazem “vista grossa” ao não questionar a volta às aulas em cidades do interior.

“Com o aval do MP, as aulas retornaram em cidades como Amambai, Bela Vista, Chapadão do Sul, Ribas do Rio Pardo, Maracaju e São Gabriel do Oeste, enquanto na Capital ainda não, mesmo seguindo todos os protocolos e exigências”, diz trecho do texto.

A CDL cita ainda que cidades como Várzea Grande (MT), Manaus (AM) e Brasília já autorizaram a reabertura. A nota prossegue dizendo que a rede de saúde da Capital está sendo sobrecarregada por pacientes vindos do interior.

“O diálogo com o MP mais parece ‘uma conversa de mudo com surdo’, tamanha insegurança nas afirmações dos próprios representantes, que um dia acordam uma data e no outro já mudam de posição e determinações a serem cumpridas. Determinações que chegam de quem não foi eleito para administrar a capital, mas que se coloca como gestor decidindo quem pode, ou não abrir suas portas”, prossegue em nota.

A entidade conclui o texto alegando que pais e alunos estão sofrendo com os efeitos do isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

“Os pais que não se sentirem seguros não precisam mandar os filhos para a escola, mas aqueles que precisarem e entenderem que na escola é seguro para seus filhos devem ter o direito de ter essa opção”.