Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

POSITIVO

Mais da metade dos contaminados pela Covid-19 em MS superou a doença

Estado tem 92 pacientes curados, entre quem finalizou quarentena em casa ou hospital
22/04/2020 12:21 - Ricardo Campos Jr


 

Mais da metade dos contaminados pela Covid-19 se recuperou da doença em Mato Grosso do Sul. Dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES) mostram que 92 pacientes se curaram em casa após quarentena ou chegaram a ser internados e receberam alta médica.

A maioria dos que “venceram” o novo coronavírus sequer precisou de um leito. São 73 pessoas nessa lista, conforme o boletim epidemiológico mais recente.

Comparando dados divulgados desde a confirmação do primeiro caso (14 de março), o Correio do Estado apurou que 38 pessoas precisaram ficar hospitalizadas em razão da doença em algum momento. Dessas, 19 já tiveram alta. Em relação ao número total, sete chegaram a ocupar leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e conseguiram reagir, passando para as enfermarias.

Nesta semana a quantidade de casos novos tem sido menor. Nas últimas 24 horas foram apenas duas novas confirmações.

Para o secretário de Saúde, Geraldo Resende, trata-se do resultado do isolamento social de 15 dias atrás, véspera do feriado de Páscoa.

Mato Grosso do Sul contabiliza seis mortes pela doença. Todos eram pacientes idosos e com outros problemas, como hipertensão e diabetes.

Resende destacou que para que Mato Grosso do Sul continue nessa situação “confortável” é preciso manter o isolamento social. “Temos controle da doença graças às barreiras sanitárias e à estrutura que temos montado. Lamentamos as seis mortes, mas é um número relativamente pequeno”.

Estima-se, por exemplo, que daqui a 15 dias os casos devem sofrer novamente uma redução na média diária em razão do Dia de Tiradentes, que tirou as pessoas da rua no fim de semana, segunda e terça-feira.

 

Felpuda


Candidato a prefeito em cidade do interior tremeu que só nas bases diante da decisão que tirou a corda do pescoço de adversário, liberando o dito-cujo para disputar a eleição.

Como acreditava que o pleito seria “um passeio”, estava até pensando no modelito que usaria no dia da posse.

Agora, teme nadar, nadar e morrer na beira da praia, deixando o terno pendurado no cabide.