Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

POSITIVO

Mais da metade dos contaminados pela Covid-19 em MS superou a doença

Estado tem 92 pacientes curados, entre quem finalizou quarentena em casa ou hospital
22/04/2020 12:21 - Ricardo Campos Jr


 

Mais da metade dos contaminados pela Covid-19 se recuperou da doença em Mato Grosso do Sul. Dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES) mostram que 92 pacientes se curaram em casa após quarentena ou chegaram a ser internados e receberam alta médica.

A maioria dos que “venceram” o novo coronavírus sequer precisou de um leito. São 73 pessoas nessa lista, conforme o boletim epidemiológico mais recente.

Comparando dados divulgados desde a confirmação do primeiro caso (14 de março), o Correio do Estado apurou que 38 pessoas precisaram ficar hospitalizadas em razão da doença em algum momento. Dessas, 19 já tiveram alta. Em relação ao número total, sete chegaram a ocupar leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e conseguiram reagir, passando para as enfermarias.

Nesta semana a quantidade de casos novos tem sido menor. Nas últimas 24 horas foram apenas duas novas confirmações.

Para o secretário de Saúde, Geraldo Resende, trata-se do resultado do isolamento social de 15 dias atrás, véspera do feriado de Páscoa.

Mato Grosso do Sul contabiliza seis mortes pela doença. Todos eram pacientes idosos e com outros problemas, como hipertensão e diabetes.

Resende destacou que para que Mato Grosso do Sul continue nessa situação “confortável” é preciso manter o isolamento social. “Temos controle da doença graças às barreiras sanitárias e à estrutura que temos montado. Lamentamos as seis mortes, mas é um número relativamente pequeno”.

Estima-se, por exemplo, que daqui a 15 dias os casos devem sofrer novamente uma redução na média diária em razão do Dia de Tiradentes, que tirou as pessoas da rua no fim de semana, segunda e terça-feira.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!