Clique aqui e veja as últimas notícias!

INDIGNAÇÃO

Manhã de sábado é marcada por protesto que reivindica direito dos negros após mais uma crime de racismo

Ato debateu mais um caso violência sofrida por um homem negro, nesta semana
19/12/2020 12:50 - Naiara Camargo


O protesto “Vidas Negras Importam”, em solidariedade ao caso de racismo ocorrido na última terça-feira (15), contra um trabalhador negro, aconteceu na manhã de hoje (19), em frente à loja da autora do crime.

Joaquim Azevedo Dagnone, de 42 anos, foi agredido verbalmente pela proprietária de uma loja de embalagens durante uma entrega.

A agressora de 50 anos, que não teve seu nome divulgado, teria dito “não queria esse preto na loja na minha loja”.

Ultimas Notícias

Bartolina Catanante, professora universitária, presidente do Grupo TEZ e organizadora do evento, afirma que infelizmente o racismo é uma realidade que já dura mais de 300 anos. 

Segundo ela, o racismo existe porque há um pensamento hierárquico na sociedade, e também porque os autores se sentem livres para praticar o crime, já que não tem uma punição efetiva. “Eles pagam fiança e saem”.

Ela alerta que, em casos como esse, a consciência, noção de igualdade racial e denúncia são fundamentais.

“Independentemente de qualquer coisa, nós somos seres humanos e a gente não pode admitir mais que essa questão do racismo perpetue”, destaca.

Em relação ao crime que desencadeou o último manifesto, a vítima, Joaquim Azevedo, abriu boletim de ocorrência contra a mulher, mas, apesar da queixa, e de ser encaminhada até a delegacia responsável, a agressora foi solta logo após ser dado voz de prisão.

Ela pagou fiança no valor de R$10.564.

De acordo com a advogada da vítima, Odete Cardoso, devido uma solicitação da acusada, o processo está correndo em sigilo.

Outra crueldade

No mês passado, um homem negro foi espancado até a morte por um segurança do supermercado Carrefour, em Porto Alegre (RS).

De acordo com as investigações, o homem morreu asfixiado, como consequência das agressões sofridas, assim como o estadunidense George Floyd. O caso ocorreu em 19 de novembro deste ano. 

O ocorrido gerou uma série de protestos e revoltas antirracistas pelo país, inclusive em Campo Grande..