Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

"Não estamos nem perto de chegar ao platô", diz infectologista

Casos aumentam no Estado e diretora de atenção à saúde diz que o ideal são medidas mais restritivas
24/07/2020 13:02 - Glaucea Vaccari


Mato Grosso do Sul continua com aumento de casos , mortes e internações por Covid-19, o que tem preocupado as autoridades de saúde. 

Conforme boletim divulgado nesta sexta-feira (24), em 24 horas foram confirmados 632 novos casos e 15 mortes pela doença.

Diretora de Atenção à Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SES), a médica infectologista Mariana Croda, disse que a média de casos, principalmente em Campo Grande e Corumbá, preocupa.

“Dados mostram que está alto na média de mortalidade e, com isso, esses óbitos mostram que há muito caso, muita circulação do vírus e não estamos nem perto de chegar ao platô ou algo que possamos ficar confortável”, disse.

O chamado platô ocorre quando há uma estabilidade no aumento da curva de novos casos da doença, antes do número começar a cair.  

Com a curva do Estado em ascendência, há preocupação, principalmente pela ocupação de leitos, e a infectologista frisa a importância de se manter o isolamento social e demais etiquetas de saúde.

MEDIDAS DE RESTRIÇÃO

“O ideal seria medidas mais restritivas do que estamos vivendo, mesmo instituindo medidas as taxas de isolamento em Campo Grande é inaceitável [a taxa de isolamento] diante do número de casos. Estamos com hospitais lotados, não temos acesso hoje a leitos de UTI para toda a população, o que nos preocupa”, disse.  

MORTES

Secretária adjunta de Saúde do Estado, Christine Maymone, afirma que em uma das mortes ocorrida hoje, o paciente fica mais de 100 dias internados em leito de UTI.

Segundo ela, isso demonstra que a rotatividade de leitos é baixa e não adianta aumentar leitos se a população não colaborar e continuar em aglomeração.  

INTERNAÇÕES

“A média de internação é em torno de três semanas. A falta do giro de leitos não permite ações que vai ver resultado em um dia, é em torno de duas a três semanas. Esse é o momento de não se expor, não é o momento de aglomerações”, acrescentou Mariana Croda.  

 
 

Boletim

Com mais 632 testes positivos para o coronavírus, Mato Grosso do Sul ultrapassou a marca dos 20 mil casos, chegando a 20.303.

Dos novos casos, 239 foram confirmados em Camppo Grande, que é a cidade do Estado com maior registro da doença. 

Dos 20.303 casos confirmados, 6.084 estão em isolamento domiciliar, 13.536 estão sem sintomas e já estão recuperados e 402 estão internados, sendo cinco de outros estados e um da Bolívia.

Quanto aos óbitos, foram novos 15 em 24 horas, totalizando 281 mortes pela doença.

São cinco novas mortes em Campo Grande, duas em Aquidauana, duas em Corumbá, e uma em Fátima do Sul, Angélica, Chapadão do Sul, coxim, Terenos e Bataguassu. 

 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...