Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

MS tem 2 crianças internadas com Covid e outras 11 suspeitas

Três casos suspeitos estão internados em Unidades de Terapia Intensiva do Estado
25/07/2020 15:39 - Daiany Albuquerque


Mato Grosso do Sul tem duas crianças com confirmação de Covid-19 que estão internadas em leitos clínicos pediátricos do Estado. Outros 11 pacientes menores de idade ocupam vagas em hospitais e aguardam resulta do exame, sendo que 3 deles estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) pediátrica.

Os dados foram apresentados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) durante divulgação do boletim epidemiológico da Covid-19 no Estado. Ainda segundo a pasta, ao todo são 621 casos diagnosticados em crianças de 0 a 9 anos e 1.102 na população de 10 a 19 anos.

Isso mostra que, apesar de em sua maioria se apresentar da forma mais leve nas crianças, a doença também pode levar essa faixa etária a precisar de atendimentos em unidade de saúde e se houver uma grande demanda por leitos pediátricos, isso pode ser um problema no Estado.

Isso porque, atualmente, Mato Grosso do Sul conta com apenas 9 vagas de UTIs pediátrica pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em relação aos leitos clínicos, são 119 em todo o Estado e o governo ainda trabalha para a ampliação de mais 6. 

Até agora, porém, nenhuma criança morreu no Estado em virtude do novo coronavírus. Entretanto, Mato Grosso do Sul contabiliza 292 mortes pela doença, sendo que 21.015 pessoas foram infectadas. Somente da Capital é responsável por 90 óbitos da doença, seguida por Dourados com 51 e Corumbá com 28.

Segundo a SES, até ontem à noite o Estado tinha 438 pessoas internadas aqui e dois sul-mato-grossenses ocupando leitos de São Paulo. Dos internados em Mato Grosso do Sul, 5 são de outras unidade da federação e 1 da Bolívia. São 241 internados em leitos clínicos (154 público, 87 privado e 1 em SP) e 197 em vagas de terapia intensiva (124 público e 73 privado).

 
 

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!