Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

PANDEMIA

Mato Grosso do Sul tem mais de 4 mil pessoas com casos ativos da Covid-19

Nas últimas 24 horas, foram confirmados 561 novos casos da doença no Estado
07/11/2020 14:34 - Glaucea Vaccari


Mato Grosso do Sul tem, até esta sábado (7), 4.056 pessoas com o vírus ativo da Covid-19, conforme boletim divulgado hoje pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Nas últimas 24 horas, foram confirmados 561 novos casos da doença causada pelo coronavírus no Estado.

Com relação as mortes, não houve atualização na base de dados oficial do Ministério da Saúde, devido a uma instabilidade no sistema federal.

Os municípios mais afetados pelos novos testes positivos são Campo Grande com mais 338; Dourados mais 70; Corumbá mais 44; Três Lagoas mais 20 e o município de Caarapó, que registrou mais 12 novos casos.

Com os novos casos, o Estado soma 84.720 pessoas que testaram positivo para a doença desde o início da pandemia.

Destes casos, 79.030 já não apresentam mais sintomas e são considerados curados. 

Dos 4.056 casos ativos, 3.834 estão em isolamento domiciliar, assintomáticos ou com sintomas leves e 222 estão internados. 

São 117 internados em leitos clínicos e 108 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Maioria dos internados é na rede pública.

Sem dados de óbitos das últimas 24 horas, Mato Grosso do Sul contabiliza, até a sexta-feira (6), 1.634 mortes por Covid-19. Taxa de letalidade se mantém em 1,9%.

Taxa global de ocupação de leitos de UTI pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é de 82% na macrorregião de Campo Grande, 60% em Dourados, 37% em Três Lagoas e 52% na macrorregião de Corumbá.

O aumento da taxa de ocupação na macro de Campo Grande é devido a desabilitação de alguns leitos exclusivos Covid-19 durante a semana, que impactam no percentual, conforme havia adiantado o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende. 

 
 

Felpuda


Outrora bons de votos – faziam adversários temerem o confronto nas urnas –, agora, por mais que tentem, alguns políticos não conseguem, nem de longe, alcançar patamar de outros tempos e voltar ao que eram. 

O pior é que, a cada disputa, a preferência popular só vem diminuindo. Neste ano, a eleição municipal demonstrou que muitos já estão com prazo de validade vencido e rótulo gasto.

E faz tempo, hein?!