Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Com mais 1.035 confirmações, Mato Grosso do Sul ultrapassa 45 mil casos de Covid-19

Foram registradas 16 mortes em um dia, sendo metade delas em Campo Grande
26/08/2020 10:47 - Glaucea Vaccari


Mato Grosso do Sul confirmou 1.035 novos casos e 16 mortes por Covid-19 em 24 horas, ultrapassando os 45 mil casos confirmados da doença causada pelo coronavírus.  

De acordo com boletim divulgado hoje (26) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), a média móvel de casos, dos últimos sete dias, continua elevada, com 854 casos novos por dia.

Campo Grande continua sendo o epicentro da doença no Estado e confirmou 426 novos casos da Covid-19.

“Se hoje estamos apresentando mais 1.035 casos, Campo Grande contribui com 40% deles. Há quase dois meses, quase metade dos casos novos são da Capital”, disse o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

Do total de casos, 37.579 já terminaram a quarentena, não apresentam mais sintomas e são considerados recuperados.  

Cumprem isolamento domiciliar 6.474 pacientes e 523 estão internados, sendo 273 em leitos clínicos e 254 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Com relação as mortes, das 16 que constam no boletim, oito das vítimas são de Campo Grande, o que corresponde exatamente a metade.  

“Campo Grande já ultrapassou a média. Estava em torno de 6 mortes por dia e passou para 7. Isso nos preocupa muito”, afirmou Resende.  

Demais óbitos ocorreram em Aquidauana, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Bataguassu, Chapadão do Sul e três em Corumbá.

Vítimas tinham entre 50 e 99 anos e duas delas não tinham doenças pré-existentes, as chamadas comorbidades.  

Mato Grosso do Sul soma 783 óbitos por Covid e a taxa de letalidade continua em 1,7%.  

Secretária adjunta de Saúde, Christine Maymone, afirmou que a circulação viral está alta no Estado e pediu para que a população continue com medidas de prevenção, como uso de máscara e distanciamento social.

"Nossas taxas de isolamento continuam sendo  horrorosas e isso contribui muito para que aquilo que já falamos, a taxa de transmissão do vírus se dá muito em relação a baixa taxa de isolamento social, além do não uso de máscara e do não uso das regras de higiene tão difundidas nos últimos seis meses", completou Resende. 

 
 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...