Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LINHA DE FRENTE

Médica faz apelo para população respeitar quarentena

Ela contou como é estar na linha de frente do combate ao coronavírus
16/07/2020 10:01 - Gabrielle Tavares


Uma médica publicou em suas redes sociais um vídeo onde faz um apelo para os campo-grandenses respeitarem o isolamento social. Bruna Minari está tratando pacientes diagnosticados com a Covid-19 e disse que a Capital está passando pelo momento de pico da doença.

Segundo ela, a atitude da população agora vai determinar a evolução do vírus nas próximas semanas.

“Estou trabalhando na linha de frente. Estava trabalhando no serviço de urgência a emergência em ambulâncias, mas agora começou a precisar de profissionais no pronto-socorro. Eu me prontifiquei para fazer esse trabalho, igual a outros tantos profissionais que estão dispendendo sua vida, mudando toda sua rotina, para cuidar de outras vidas”, relata Bruna Minari.

A médica publicou o relato na quarta-feira (15), quando Campo Grande somou 5.181 casos de Covid-19 e 46 óbitos, segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Foram 345 novas confirmações da doença e duas mortes na cidade, o maior número de confirmações em um dia desde o início da pandemia.

No ranking que mede a taxa de isolamento social dos municípios do Estado – do pior índice para o melhor - a Capital aparece 26º posição, com 36,4%. Para os casos começarem a diminuir, a taxa ideal precisa ficar, em média, em 50%.  

“Nós estamos vivendo um momento de pico, nós temos muitos pacientes internados nesse momento. Gostaria muito que nesse momento tão frágil, as pessoas se conscientizassem um pouco mais. Esse esforço que a gente vai ter agora, de tentar aumentar o distanciamento social, aumentar o isolamento, é fundamental para a gente passar logo por isso”, ressaltou a médica.

Plantão diário  

Minari conta que trabalha todos os dias, durante todo o dia, para ajudar na recuperação dos pacientes. Segundo ela, os Equipamentos de Proteção Individual que a equipe precisa usar incomoda, mas é necessário.  

“A gente coloca uma roupa impermeável, que é igual aquela da Nasa, ela é muito quente então quando a gente tira ela, nossa roupa de baixo está toda molhada. É uma situação onde a gente não consegue tomar água, não consegue fazer xixi”, explicou Bruna.

Ela ainda detalha sobre como é conviver diariamente com a proteção. “A gente fica com a máscara machucando o rosto, com um óculos de proteção- eu que uso óculos de grau fico com dois óculos - mais o face shield, que é aquele equipamento que cobre todo o rosto”, disse.

“Então tudo isso aperta, comprime a cabeça, dói a cabeça, dói a orelha. Mas é uma situação que a gente passa, porque é para ajudar uma outra pessoa e porque tudo isso vai passar”, afirmou a médica.  

Bruna terminou o apelo garantindo que a necessidade da quarentena é passageira e pede mais uma vez para que aglomerações sejam evitadas.

 “Peço de coração, para que vocês se conscientizem, que vocês tomem mais cuidados. Estamos tendo muitos pacientes assintomáticos que não sabem que tem o vírus e a gente não sabe em quem o vírus vai se manifestar de forma mais negativa, então proteja as pessoas que você ama”, concluiu.

Confira o vídeo na íntegra:

 
Bruna Minari em sua conta pessoal - Reprodução
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.