Clique aqui e veja as últimas notícias!

MÃO NA CONSCIÊNCIA

Uso de máscara é obrigatório durante votações; mesários têm permissão para barrar quem descumprir a regra

Veja as recomendações para a hora da votação
15/11/2020 06:00 - Brenda Machado, Eduardo Miranda


Ainda que a pandemia da Covid-19 venha sendo desprezada por parte da população, como consequência da queda na média móvel de casos, é importante o eleitor lembrar que todas as medidas de biossegurança recomendadas serão obrigatórias durante a votação.

Em Mato Grosso do Sul é possível ver muitas pessoas sem máscaras e sem qualquer preocupação de frear o contágio do vírus.

O distanciamento físico e o uso de sanitizantes, como o álcool em gel já foi dispensado por muitos, mas na hora de votar, a realidade precisa ser outra.

O uso de máscara será obrigatório dentro dos locais de votação e nas seções eleitorais. É recomendado que ela seja utilizada desde o momento de saída de casa até a volta.

Na intenção é lembrar o aviso aos votantes, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou uma Nota falando sobre a obrigatoriedade e de como o uso da máscara simboliza o respeito entre os cidadãos.

De acordo com o texto, como a população já enfrenta um período pandêmico há alguns meses, fica subtendido que a maioria tem recursos para se deslocar utilizando a proteção.

"Ninguém poderá votar sem máscara decorre de recomendação da Consultoria Sanitária para as Eleições 2020, composta pela Fiocruz e pelos Hospitais Albert Einstein e Sírio-Libanês."

A Nota foi clara ao frisar que a máscara deve cobrir o nariz e a boca, já que muitas pessoas a utilizam de forma errada.

Para os casos excepcionais de eleitores que tenham esquecido o equipamento ou que não tenham condições de adquiri-lo, o TSE irá distribuir até 3,5 milhões de máscaras. Todas foram conseguidas por meio de doação.

Além disto, no dia, o Tribunal também irá oferecer 9 milhões de máscaras aos mesários e ao demais colaboradores.

Quem não usar máscara poderá ser impedido de votar.  

O presidente da seção ou qualquer autoridade a serviço da Justiça Eleitoral, como policiais e guardas municipais, por exemplo, estão autorizados a impedir a entrada de pessoas sem o equipamento nos locais de votação.

Vale lembrar também que as aglomerações estão proibidas.