Clique aqui e veja as últimas notícias!

CORONAVÍRUS

Mesmo com equipe desfalcada, Hospital Regional abre 10 novos leitos de UTI

O Hospital possui estrutura física e equipamentos para comportar novos leitos, a única dificuldade é a falta de mão de obra
07/12/2020 09:45 - Gabrielle Tavares


Dez novos leitos de UTI foram abertos no domingo (6) no Hospital Regional, unidade de referência contra a Covid-19 no Estado. O local não possuía equipe médica disponível para ativação, mas em decorrência ao alto nível de lotação, foi montado uma “força-tarefa” para abrir os novos leitos.

A informação foi repassada pela presidente do HRMS, Rosana Leite. A médica participou de uma reunião no domingo (6), onde foi decidido a ativação, junto com o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, o secretário Municipal de Saúde, José Mauro Filho, além dos superintendentes da Sesau e diretores do HRMS.

Acompanhe as últimas notícias

“Os médicos estão fazendo hora extra, estão fazendo plantões, alguns foram realocados pela Sesau, para conseguirmos abrir esses novos leitos. Tudo para não deixar de atender ninguém, porque tem muitos pacientes nas UPA’s”, relatou Leite.

O Hospital possui estrutura física e equipamentos para comportar novos leitos, a única dificuldade é a falta de mão de obra. O Governo do Estado abriu um processo seletivo para contratar mais médicos, mas das 60 vagas, apenas 56 pessoas se inscreveram.

“Esses 56 devem ser chamados nesta semana, mas é um processo demorado. Enquanto isso tivemos que criar uma força tarefa”, ressaltou a médica.

Com os 10 novos leitos, o HRMS passa a atender com 110 leitos de UTI.

Mato Grosso do Sul vive o pior aumento de casos da pandemia do novo coronavírus

A semana epidemiológica que terminou no sábado foi a pior em número de casos desde o início da pandemia em Mato Grosso do Sul. De acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), entre 29 de novembro e 5 de dezembro, foram 7.122 casos registrados no Estado.

O pior período em número de casos da pandemia havia ocorrido em julho, na 35ª semana, quando 6.135 confirmações ocorreram no Estado. Naquela época, Mato Grosso do Sul vivia o pico da doença também em número de internações e mortes.