Clique aqui e veja as últimas notícias!

VARIAÇÕES

Mesmo com queda, volume de serviços cresce 8,5% em Mato Grosso do Sul no ano passado

Dezembro fechou com saldo positivo após uma taxa de quase -6% em novembro
11/02/2021 15:35 - Brenda Machado


Comparando os resultados dos doze meses anteriores, o volume de serviços em Mato Grosso do Sul cresceu 8,5% em 2020.

Apesar de positiva, no acumulado do ano, a variação representa um fechamento 1,2% menor que o de 2019 para o setor. O resultado foi influenciado pelas atividades presenciais que foram afetadas pela pandemia da Covid-19.

Últimas Notícias

O gerente da pesquisa, desenvolvida pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rodrigo Lobo, citou exemplos que puxaram o impacto.

Segundo ele, o fechamento parcial ou integral de estabelecimento considerados não essenciais não foi o único fator que pesou para a conta.

"A necessidade do isolamento social, o receio de contágio das famílias, a inexistência de uma medicação que combata a Covid-19 e o horizonte de tempo ainda distante de uma vacinação em massa são fatores que atuam como um limitador de uma recuperação mais acelerada do setor, sobretudo, em relação aos de caráter presencial", explicou.

Ainda assim, com o percentual, Mato Grosso do Sul ficou entre os três estados com o melhor desempenho, sendo que os primeiros da lista foram Rondônia (9,4%) e Mato Grosso (9,1%).

Já as regiões São Paulo (-3,8%), Rio de Janeiro (-5,5%), Distrito Federal (-14,2%) e Rio Grande do Sul (-7,9%) apresentaram as maiores influências negativas.

Ao todo, 16 das 27 unidades federativas do país acompanharam o recuo no volume de serviços, que no Brasil fechou em -3,3%.

Também em relação a Mato Grosso do Sul, quando o comparativo é feito com o mês anterior, a alta no volume correspondeu a 3,5%, após um déficit de -5,9% em novembro.

O percentual sucedeu uma sequência de quatro taxas negativas, entre março e julho, e três taxas positivas entre agosto e outubro.

Com as variações, o volume de serviços do estado se encontra 2,7% acima do patamar de fevereiro, quando as medidas de isolamento social para controle do novo Coronavírus ainda não haviam sido adotadas.

Assine o Correio do Estado