Clique aqui e veja as últimas notícias!

PANTANAL

Ministério se adianta e decreta estado de emergência ambiental em Mato Grosso do Sul

A medida prévia garante tempo aos estados realizar ações de prevenção aos focos de incêndio, e não apenas de combate
05/03/2021 10:02 - Gabrielle Tavares


Ministério do Meio Ambiente publicou portaria no Diário Oficial da União (DOU) onde decreta estado de emergência ambiental para Mato Grosso do Sul, nos meses de maio a dezembro de 2021.

A publicação, assinada pelo ministro Ricardo Salles, engloba outros 18 estados, com regiões e datas específicas. Não foi especificado o local exato do Estado para a situação emergencial, contudo, a região que mais sofreu com queimadas ano passado foi a pantaneira, próximo a fronteira com Mato Grosso.

A medida prévia garante tempo aos estados de realizar ações de prevenção aos focos de incêndio, e não apenas de combate.

De acordo com a coordenadora do Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de Mato Grosso do Sul (Cemtec-MS), Franciane Rodrigues, os meses mais secos no Estado, quando as queimadas são mais propensas de acontecer, são junho, julho e agosto. 

Os incêndios florestais ocorrem todos os anos no bioma, mas em 2020, a maior seca dos últimos 50 anos contribuiu para que as queimadas atingissem patamares nunca antes registrados.

Últimas notícias

Foram mais de 4,2 milhões de hectares do Pantanal destruídos pelo fogo, representando 30% do bioma de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Ocorreu o maior registro de focos de calor (mais de 21 mil, o dobro em relação a 2019) desde a década de 1990, quando o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) começou a monitorar a região.  

Rodrigues explica que como os meses de seca ainda estão distantes, não é possível saber se a seca será maior, ou menor que a do ano passado. As chuvas ficarão acima da média até este mês de março, estabilizará em abril e cairá para abaixo da média em maio.

"Por conta das chuvas, não fizemos ainda uma análise mais profunda. De qualquer forma, independente das condições climáticas, os meses críticos são de junho a agosto, que é normal em todo o ano", disse.

Em janeiro deste ano, o Governo do Estado anunciou também que investiria R$ 56,6 milhões de recursos próprios em ações de combate a incêndios no Pantanal e no Cerrado, através do Plano Estadual de Combate a Incêndio Florestal.

O dinheiro será usado para o treinamento de bombeiros, além da compra de equipamentos e veículos, incluindo um avião Air Tractor, modelo norte-americano capacitado para combate de alta precisão a incêndios florestais.

Assine o Correio do Estado