Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Ministério Público quer que União explique ‘sumiço’ de dados da Covid-19

Desde sexta-feira governo federal não mostra mais dados gerais da doença
07/06/2020 09:52 - Da Redação


 

O Ministério Público Federal (MPF) abriu procedimento para apurar o motivo da omissão na divulgação de dados do novo coronavírus e também a demora para essas informações serem divulgadas pelo Ministério da Saúde. O órgão solicitou cópia dos atos administrativos da pasta que resultaram nas mudanças e cobrou esclarecimentos sobre o caso.

Desde a sexta-feira (5) o Ministério da Saúde parou de divulgar o número acumulado de mortes e de casos da Covid-19, que eram apresentados desde o início da pandemia. Os dados não constam mais, inclusive, no site oficial que a pasta mantém com os dados da doença.

Outro fator foi o atraso na divulgação dos dados atualizados. Antes eles eram informados às 19h (horário de Brasília) e agora passaram a ser publicados às 22h (de Brasília). A situação também gerou indagação por parte do Ministério Público.

Na semana passada o novo secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Carlos Wizard, da pasta informou que os números de mortes também seriam revisados, porque, segundo eles, os dados poderiam ter sido “inflados”, mas nenhuma evidência de que isso realmente ocorreu foi demonstrada. Por este motivo, o MPF quer saber qual motivo técnico se faz necessária a revisão dos óbitos.

Essas determinações foram encaminhadas ao ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, que tem 72 horas para responder os questionamentos. A notícia de fato é assinada pelos procuradores Célia Regina Souza Delgado e Edilson Vitorelli Diniz Lima, da Câmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos. 

Essa investigação do Ministério Público Federal ocorre paralela a pedido da Defensoria Pública da União, que foi à Justiça Federal de São Paulo para obrigar o governo a apresentar os dados. 

De acordo com o governo, a subtração desses dados do novo coronavírus seria porque eles não retratariam o momento do Brasil. “A divulgação dos dados de 24 horas permite acompanhar a realidade do país neste momento e definir estratégias adequadas para o atendimento à população. A curva de casos mostram as situações como cenários mais críticos, as reversões de quadros e a necessidade para preparação”, disse Jair Bolsonaro, no sábado.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!