Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Mora com um idoso? Veja dicas para protegê-lo na pandemia

O índice de óbitos por coronavírus é maior entre pessoas com mais de 60 anos
22/07/2020 09:14 - Gabrielle Tavares


O índice de óbitos em decorrência da Covid-19 é muito maior entre a população idosa. Em Mato Grosso do Sul, a maioria dos registros das mortes no Boletim Epidemiológico do Governo do Estado é de pessoas com idade entre 60 a 80 anos.

Dados do Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento (IRD) da Universidade de Paris, indicaram uma taxa de mortalidade de 21,1 por milhão de habitantes entre homens com idade de 0 a 18 anos, ao passo que esse número é de 592 por milhão entre idosos do sexo masculino com idade de 65 a 69 anos, ou seja, um intervalo de apenas 5 anos.

Os números reforçam a importância do distanciamento social, entre a população jovem ou idosa. 

Mas para indivíduos com idade superior a 60 anos a preocupação deve ser redobrada.  

 

 
 

Veja abaixo dicas sobre como auxiliar os idosos no período de quarentena: 

 

- Controle o estado de saúde dele. Verifique se o idoso apresenta sintomas de Covid-19, como febre, tosse e dificuldade para respirar. Se o idoso mora sozinho, faça o mesmo, porém por telefone, de preferência. Se for visitá-lo, evite o contato físico e mantenha sempre uma distância segura;

- Se alguém na casa apresentar sintomas, evite contato físico. Intensifique todas as medidas de prevenção quando um membro da casa estiver com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus;

- Limpe e desinfete regularmente a casa. Em especial, se alguém da casa estiver saindo para atividades diversas, como ir trabalhar, fazer compras etc;

- Evite compartilhar objetos de uso pessoal. Copos, pratos, talheres e toalhas são exemplos de itens que devem ser de uso único e exclusivo de uma só pessoa;

- Assegure-se de que o idoso tenha um estoque de seus medicamentos regulares. Procure ter remédios de uso controlado ou contínuo em quantia suficiente para um mês inteiro. Isso evita idas constantes à farmácia ou a médicos;

- Siga as medidas de distanciamento social. Evite espaços públicos e compartilhados com muitas pessoas. Se vai ao mercado, peça para o idoso ficar em casa aguardando-o. Em caso de idosos que moram sozinhos, se ofereça, caso possível, para resolver em seu lugar o que ele precisa fazer fora de casa;

- Estimule-o a ter hábitos saudáveis. Consumir alimentos nutritivos, dormir o suficiente, não fumar, manter-se ativo e limitar o consumo de bebidas alcoólicas são comportamentos que devem ser reforçados;

- Faça um plano para o caso do idoso precisar ir a um serviço de saúde. A utilização de máscaras e a busca por meios de transportes diferentes do público devem estar no plano de transporte da pessoa idosa até o atendimento médico;

- Se o ente querido está em uma instituição de longa permanência, evite visitas. Use o telefone, chamadas de vídeo, e-mail. Qualquer meio não presencial para entrar em contato é válido para diminuir a sensação de abandono ou solidão que pode surgir no idoso;

- Seja gentil e demonstre empatia. Converse e escute-o com carinho e atenção. Com certeza, isso o ajudará a aliviar o estresse e a solidão.

 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!