Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NESTA SEXTA

Morre aos 75 anos o advogado e ex-secretário municipal Evandro Bandeira

Evandro Ferreira de Viana Bandeira tinha 75 anos e faleceu em decorrência de complicações cardíacas. Ele será sepultado hoje à tarde
07/08/2020 10:30 - Nyelder Rodrigues


Morreu nesta madrugada de sexta-feira (7) em Campo Grande o advogado Evandro Ferreira de Viana Bandeira, aos 75 anos. Ele estava internado no Hospital do Coração e faleceu por complicações de problemas cardíacos. Evandro deixa cinco filhos, todos eles advogados. O velório acontece nesta tarde, a partir das 14h, no cemitério Parque das Primaveras.

Nascido em Aquidauana no dia 31 de outubro de 1944, o advogado foi conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e em 2007 foi o único de Mato Grosso do Sul a disputar uma posição na lista de indicados do conselho federal da OAB para ocupar o assento de ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na vaga destinada pelo quinto constitucional.

 
 

Dez anos depois, ele também ocupou por um curto período o cargo de secretário municipal de Campo Grande, chefiando a Secretaria de Controle, Fiscalização e Transparência no início da gestão do prefeito Marcos Trad (PSD). Ele também escreveu vários artigos abordando questões do mundo jurídico e os publicou no portal Correio do Estado.

"Doutor Evandro foi um grande advogado, de enorme respeito na comunidade jurídica brasileira. Ele deixa um legado de luta, enfrentamento e de coragem, como poucos advogados já tiveram. Não se deixava esmorecer por nenhuma situação, enfrentava, combatia, defendendo o que entendia como justo", comenta da OAB-MS, Mansour Karmouche.

A fala foi publicada em nota de pesar da seccional sul-mato-grossense da Ordem, lamentando a morte do advogado inscrito ainda em 1977, quando o Estado não havia sido criado oficialmente. "É uma perda inestimável para o mundo jurídico e para a cidadania", lamenta a também advogada e ex-conselheira estadual da OAB, Mônica Barros.

Ela ainda completa que Evandro era um advogado "combativo e de renome no Estado", com cinco décadas de atuação. "Trabalhei com ele no início da carreira e posso atestar que era um verdadeiro mestre, com conhecimento impecável do Direito e muito amor à profissão. Além de tudo, era um homem afável, culto, polido e bem relacionado, que amava a arte e a família".

Local do velório, que acontece a partir das 14h, o cemitério Parque das Primaveras fica na avenida Senador Filinto Muller, 211, no Jardim Parati. Já o enterro será às 15h. Todo o funeral será restrito a poucos familiares e amigos devido aos cuidados necessários nesse momento de pandemia da covid-19 em Campo Grande.

 

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...