Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

Ministério Público cria ferramenta para combater a baixa cobertura vacinal em MS

Projeto permite consultar a taxa de cobertura de cada município sul-mato-grossense
14/08/2020 11:27 - Bruna Aquino


Pensando em aumentar a taxa de cobertura vacinal em Mato Grosso do Sul, que é atualmente baixa, o Ministério Público de Mato Grosso do Sul desenvolveu um projeto para ajustar no sistema de vacinação principalmente em tempos de pandemia.  

O projeto Vacinômetro, realizado pelo Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça dos Direitos Humanos (CAODH) e do Núcleo da Cidadania, visa dar mais visibilidade a importância da vacinação e chamar a atenção das autoridades quanto ao assunto da imunização.

Isso porque, dados extraídos do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde apontam que, o Estado de Mato Grosso do Sul está com cobertura vacinal de apenas 55,6%, percentual considerado muito abaixo do recomendado, fator que importa em risco real à saúde coletiva.

“Lançamos ontem à noite o projeto Vacinômetro. As taxas de cobertura vacinal no Estado são muito baixas e com a Covid caíram mais. O projeto permite consultar a taxa de cobertura de cada município e os promotores vão acionar os gestores para melhorar o serviço, inclusive com busca ativa da população”, explicou a Promotora de Justiça Ana Cristina Carneiro Dias, Coordenadora do Núcleo da Cidadania.  

Ela ainda acrescenta que somente altas e homogêneas coberturas vacinais poderão produzir impacto no comportamento epidemiológico das doenças imunopreveníveis e contribuir para a diminuição dessas doenças ao sistema público de saúde, já sobrecarregado pela situação pandêmica. 

 
 

PROJETO

O projeto permite o monitoramento das taxas de cobertura vacinal dos municípios do Estado e disponibiliza aos Promotores de Justiça, especialmente àqueles com atribuição na área da saúde pública ou infância e juventude, uma base de dados desenvolvida pela equipe da Secretaria de Informação do MPMS que compara a cobertura vacinal local com as metas estabelecidas pelo Ministério da Saúde, bem como modelos de peças para atuação institucional neste assunto.

Para o Procurador de Justiça e Coordenador do CAO dos Direitos Humanos, Francisco Neves Júnior, o mundo vivencia uma situação atípica e preocupante para a saúde pública, provocada especialmente pelo novo coronavírus, que tem gerado sobrecarga nos leitos hospitalares existentes e prejudicado a assistência geral à saúde da população.  

“A saúde pública também sofre efeitos de várias outras doenças e epidemias, como dengue, febre-amarela, sarampo e leishmaniose”, destaca.  

Segundo o MPE, a estatística demonstra uma redução significativa na procura pelas vacinas no Sistema Único de Saúde (SUS) neste período e o Ministério da Saúde tem divulgado preocupação com esse comportamento.  

A Organização Mundial de Saúde divulgou recentemente preocupação com essa questão, informando que cerca de 80 milhões de crianças menores de um ano estão correndo risco de contrair doenças em todo o mundo, por não terem sido vacinadas, por reflexo da pandemia.

Para viabilizar o alcance da meta de imunização estabelecida pelo Ministério da Saúde será disponibilizado na plataforma MP Social a ferramenta “Vacinômetro”.  
 

*Com informações do MPE

 

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.