Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

MS comprará 1,5 milhão máscaras para decretar uso obrigatório

Compra será feita por meio de chamamento público, que ainda não tem previsão de ser publicado
18/05/2020 17:27 - Daiany Albuquerque


 

O Governo do Estado planeja decretar uso obrigatório de máscaras em Mato Grosso do Sul. Entretanto, para que isso aconteça, antes ele planeja distribuir 1,5 milhão do equipamento de proteção para a população mais carente. A compra será de máscaras de tecido.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, a pasta está montando um chamamento público para adquirir 1,5 milhão de máscaras. Ainda não há previsão para a concorrência ser publicada, entretanto, deverá acontecer “o mais rápido possível”.

“Foi um pedido do governador, para que só decretássemos a obrigatoriedade quando tivéssemos máscaras para distribuir aos mais carentes e a todos os funcionários públicos”, contou Resende.

Só após a aquisição desses Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e a distribuição do mesmo é que o decreto será publicado em Diário Oficial. A pasta ainda planeja a compra de mais 1 milhão de máscaras depois que a determinação estiver em vigor.

O uso de máscara obrigatório já acontece em outros estados brasileiros, como Mato Grosso, São Paulo e Distrito Federal. No Estado, alguns municípios já determinaram que o EPI faça parte de algumas atividades. Em Campo Grande, a peça é obrigatória no transporte público de passageiros e também nos táxis e aplicativos de corrida.

A medida é uma forma de contar o avanço do novo coronavírus do Estado, que já contabiliza 613 contaminados e 16 mortos pela doença, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgados na manhã desta segunda-feira (18).

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...