Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Estado já perdeu 14 profissionais da linha de frente para a Covid-19

Ao todo são 32.562 casos confirmados, sendo que 2.864 são servidores da saúde
11/08/2020 18:15 - Daiany Albuquerque


A Covid-19 já levou a vida de 14 profissionais da saúde que atuavam na linha de frente da doença em Mato Grosso do Sul, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES). A maioria dessas mortes estão das duas cidades com o maior número de casos confirmados do novo coronavírus, Campo Grande e Dourados. Ao todo, são 545 mortes do Estado.

Conforme sistema do governo do Estado, a doença contaminou 32.562 pessoas em Mato Grosso do Sul. Desse número, 2.864 são de profissionais da saúde, sendo que mais da metade, 1.752, estão em Campo Grande, epicentro da doença no Estado.

Apesar do grande número de profissionais contaminados, a cidade contabiliza 4 mortes entre esses servidores, mesmo número que Dourados, com precisou de 417 infectados para chegar nesse número triste. As outras mortes estão em Corumbá (2), São Gabriel do Oeste (1), Douradina (1), Ladário (1) e Jardim (1).

Entre os servidores contaminados, 24 sofrem de asma, 14 de diabetes, 5 de hipertensão, 5 de problemas cardíacos e 1 com doenças renais. Até hoje, 12.975 testes foram realizados entre esses trabalhadores.

Do total de infectados na categoria, 230 ainda estão com a doença e essa situação pode agravar mais a dificuldade de encontrar profissionais da saúde para atuar durante a pandemia, principalmente em unidades de terapia intensiva (UTIs). Para se ter uma ideia, no Estado todo há apenas 103 médicos intensivistas, que são habilitados para atuarem nesses leitos.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!