Clique aqui e veja as últimas notícias!

COMPRA DE INSUMOS

Mato Grosso do Sul não consegue comprar metade de insumos previstos em pregão

Serão utilizados cerca de R$ 3 milhões para compra de 4 milhões de agulhas e seringas para vacinação
14/02/2021 17:30 - Ana Karla Flores


Mato Grosso do Sul vai comprar oito dos 16 itens previstos em pregão de janeiro deste ano. A Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização (SAD) publicou nesta sexta-feira (12), resultado de licitação para compra de 270.375 mil seringas e 4.503.000 milhões de agulhas, com total de R$ 3.584.005 milhões.  

Últimas notícias

Do total de 16 itens previsto para compra, o Governo do Estado conseguiu finalizar a licitação apenas para oito tipos de insumos, entre agulhas e seringas. De acordo com o resultado de licitação, o Estado comprará cinco tipos de seringas, com valor total de R$ 2.954.005,00, e três tipos de agulhas, que custaram R$ 630 mil.  

De acordo com o edital do pregão, o valor total previsto para as seringas era de R$3.972.335,00, com média de R$ 0,30 em nove diferentes seringas. Para a compra de agulhas o valor total era de R$720.620,00, eram sete diferentes agulhas com preço médio de R$0,10 por unidade.

O resultado da compra vai atender as demandas da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e do Fundo Especial de Saúde do Estado (Fesa) na vacinação destinadas a diversas doenças em Mato Grosso do Sul.  

Além dos itens que não tiveram sucesso na compra, o Estado teve um diferença de R$ 470.621,25 entre o preço previsto e o realmente licitado pelas empresas de produtos hospitalares Georgini Eireli e Biomedical.  

Para a compra de seringas os preços variavam de R$ 0,63 até R$ 61,50 no edital, e foram adquiridas com valores de R$ 0,52 a R$ 29. Quanto as agulhas, os preços previstos eram entre R$ 0,10 e R$ 100, e o preço máximo pago foi de R$ 90.  

A licitação foi realizada através do procedimento de Registro de Preços, tendo em vista tratar de objeto comum a todos os órgãos da administração, objetivando o eficaz andamento e desempenho de suas atividades. 

O registro também trata da aquisição de bens para contratações futuras, frequentes, o que apenas gera expectativa de crédito orçamentário futuro.

A reportagem do Correio do Estado, entrou em contato com a Secretária de Estado de Saúde (SES) e não obteve respostas. Entretanto, o secretário de Saúde, Geraldo Resende, afirmou anteriormente, que as empresas concorrentes se negaram a vender os insumos pelo preço estabelecido na licitação. Podendo este ser o motivo das falhas de licitação.

Vacinação Covid-19

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, os insumos que serão adquiridos não serão utilizados para a vacinação contra a covid-19. A SES, alegou em janeiro que tem ítens suficientes para a vacinação da população até o momento.  

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, afirmou que Mato Grosso do Sul possui um estoque de 2,5 milhões de seringas e agulhas para iniciar a vacinação contra o coronavírus. “E é de responsabilidade do Ministério da Saúde nos enviar ainda mais seringas”, disse.

A quantidade de equipamentos é uma soma do estoque da Coordenadoria Estadual de Imunização com os equipamentos guardados nos almoxarifados dos 79 municípios.