Clique aqui e veja as últimas notícias!

CORONAVÍRUS

Mato Grosso do Sul registra 1.582 casos de Covid-19 e 28 mortes nas últimas 24 horas

Brasil já ultrapassou 197 mil mortes e se aproxima de 8 milhões de infectados desde o início da pandemia
06/01/2021 13:28 - Naiara Camargo


Segundo o Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES), publicado na manhã desta quarta-feira (6), Mato Grosso do Sul já tem 139.152 casos confirmados de Covid-19 e 2.431 óbitos pela doença.

São 1.582 casos e 28 mortes a mais que ontem. Os recuperados já somam 123.361. Em isolamento domiciliar encontram-se 12.731 doentes.

Há 601 pessoas internadas, sendo 302 em leitos clínicos (191 público; 111 privado) e 299 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (200 público; 99 privado).

Acompanhe as últimas notícias

Campo Grande registrou de ontem para hoje 565 novos casos; Dourados 299; Três Lagoas 94; Aquidauana 39; Naviraí 39; Caarapó 38; Amambaí 36; Ponta Porã 33; Maracaju 30 e Chapadão do Sul 24.

Campo Grande, Fátima do Sul, Amambaí, Anastácio, Chapadão do Sul, Sonora, Aquidauana, Rio Verde de Mato Grosso, Dourados e Ivinhema são as cidades que apresentaram mortes nas últimas 24 horas.

“Há uma preocupação com a capital e Dourados, meu pedido [de cuidado] especial é para essas cidades”, expressa Christine Maymone, secretária adjunta da Saúde.

Medidas Restritivas 

Com o objetivo de conter a proliferação do novo coronavírus e estimular o isolamento social, uma série de medidas foi tomada na capital:

  • Estabelecimentos devem funcionar com lotação máxima de 40% de sua capacidade;
  • Toque de recolher das 22h às 5h
  • Festas e eventos devem respeitar a lotação máxima de 40%, e, ainda, ter no máximo 80 pessoas;
  • Comércio pode funcionar das 8h às 21h;
  • Shoppings podem funcionar das 10h às 22h;
  • Passe do estudante continua suspenso;
  • Passe do idoso funciona das 9h às 16h diariamente e
  • Transporte coletivo pode funcionar com 70% da capacidade máxima e funciona das 5h às 23h.

“Uma grande parte da população não tem sido colaborativa, estão se aglomerando, fazendo festas, estão optando pela morte, e não pela vida”, disse o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende.

Esperança 

Vários países já começaram a vacinação contra a Covid-19. Alemanha, Reino Unido, Argentina, Chile, Canadá, França, Estados Unidos, Grécia, Itália e México são alguns deles.

Há diversas vacinas aprovadas em todo o mundo. Moderna, Pfizer- BioTech, Coronavac e Sputinik V são algumas delas. 

Milhões de vacinas já chegaram no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. Vacinação está prevista para começar no fim deste mês na capital paulista.

Geraldo afirma que faltam poucos dias para que a população seja vacinada. “Final de janeiro e fevereiro temos a perspectiva de começar a fazer a vacinação”. 

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) disse no último dia 8 que o Estado já tem recurso disponível para comprar vacinas contra a Covid-19 e imunizar a população sul-mato-grossense.

Marcos Trad, prefeito da capital, afirmou que Campo Grande, São Paulo e Rio de Janeiro serão as primeiras cidades a receber a vacina da Coronavac. 

Sintomas do novo coronavírus

Caso o cidadão apresente os seguintes sintomas, é possível que ele esteja infectado pelo vírus da Covid-19

  • Febre
  • Tosse seca
  • Perda do olfato
  • Perda do paladar
  • Falta de ar
  • Dificuldade para respirar
  • Dor ou pressão do peito

Recomendações

A SES afirma que o isolamento social; o uso de máscara e álcool gel e a higienização das mãos com água e sabão são medidas imprescindíveis para conter a propagação do novo coronavírus.

Pessoas que apresentarem febre, tosse seca ou dor de garganta devem permanecer em isolamento por 14 dias e procurar uma unidade básica de saúde mais próxima.

“Use máscara e mantenha a higienização das mãos”, é o que Geraldo clama todos os dias aos sul-mato-grossenses.

“Você só pode estar em locais que você tem a garantia de estar a 1,5 de uma pessoa, com máscara e com higienização das mãos. Nós não falamos mais de outra coisa”, afirma a secretária.

Assine o Correio do Estado