Clique aqui e veja as últimas notícias!

PANDEMIA

MS registra 19 novas mortes por Covid, maior número desde 15 de setembro

Foram 1.314 novos casos e número de internações quase triplicou em menos de um mês
09/12/2020 13:14 - Glaucea Vaccari


A pandemia continua em curva ascendente em Mato Grosso do Sul. Além dos casos e internações que já vinham em curva ascendente há alguns dias, o número de mortes também teve aumento expressivo, com 19 óbitos confirmados nas últimas 24 horas.

É o maior número de mortes pela doença desde o dia 15 de setembro no Estado.

Acompanhe as últimas notícias

Secretária adjunta estadual de Saúde, Christine Maymone, disse que o aumento já era previsto e voltou a pedir que a população mantenha medidas de prevenção para evitar colapso no sistema de saúde, que já está superlotado.

“Infelizmente nossos óbitos começaram a aumentar, assim como prevíamos, que primeiro nós teríamos aumento [nos infectados em] isolamento domiciliar, depois leitos clínicos, depois teríamos superlotação de leitos de UTI depois teríamos superlotação de UPAs e centros de saúde e depois teríamos os óbitos”, explicou.

Desde o dia 15 de setembro, quando foram 21 mortes, não havia tantas mortes no Estado. O número que mais se aproxima é o de 25 de setembro, quando foram 17 vítimas.  

A partir de então a Covid-19 teve desaceleração e números começaram a cair, até começar uma segunda onda no fim de novembro.

Dos 19 novos óbitos, 13 eram de Campo Grande, duas de Dourados e uma de Naviraí, Ivinhema, Costa Rica e Corumbá. Vítimas tinham idades entre 42 e 90 anos e apenas uma não tinha comorbidades e fatores de risco.

Desde o início da pandemia, são 1.870 mortes por Covid-19 no Estado. Taxa de letalidade é de 1,7%.

Nas últimas 24 horas também foram confirmados 1.314 casos novos, o que deixa a média móvel de 1.063 novos casos por dia.

Há 615 pessoas internadas em hospitais públicos e privados do Estado.  

“No dia 11 de novembro estávamos com 206 [internados] e agora com 615, praticamente triplicamos o número de casos em menos de 30 dias. É muito rápido o avanço do vírus”, disse Christine.

Taxa de ocupação da macrorregião de Campo Grande é e 105%, mas segundo explicou a secretária adjunta, esses 5% além da capacidade representam pacientes internados em leitos Covid-19 que ainda não foram habilitados pelo Ministério da Saúde e são mantidos pelas secretarias municipal e estadual de Saúde.

Secretária pediu ainda para que a população mantenha distanciamento social, uso de máscara e etiquetas de higiene pelos próximos dias, afirmando que a vacina está próxima.

"Estamos na iminência, muito próximos da vacina. Sejamos firme na nossa responsabilidade individual e com a sociedade", pediu.