Clique aqui e veja as últimas notícias!

PANDEMIA

Mato Grosso do Sul registra recorde no número de internações pelo novo coronavírus

De acordo com dados da SES, Estado registrou 678 pacientes internados e 31 óbitos pelo novo coronavírus
23/12/2020 08:30 - Naiane Mesquita, Naiara Camargo


Mato Grosso do Sul registrou recorde no número de pessoas internadas em decorrência da Covid-19, de acordo com o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende. Ao todo, 678 pacientes estão hospitalizados por conta da doença, que levou 31 pessoas a óbito nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgado nesta terça-feira (22).

De acordo com Resende, o comportamento da população, alheia aos cuidados para evitar a contaminação, resulta no aumento do número de casos, mortes e internações.  

Últimas Notícias

“O resultado de tudo isso estamos colhendo agora, com mortes bastante acentuadas nos últimos dias. Foram 23 no sábado, 19 no domingo, 26 na segunda e 31 hoje [ontem]. Maior número de pessoas internadas no Estado, maior número de internações durante a pandemia no Estado. Uma média móvel de mais de 1.150 casos por dia. Significa que, se levarmos em consideração o que aponta a literatura, o que está acontecendo não só no Brasil, mas no mundo todo, nós vamos precisar de no mínimo 50, 60 vagas por dia em hospitais para o atendimento em enfermarias e leitos de UTI, e nós não os temos”, ressalta.  

Óbitos  

O número de óbitos divulgado ontem é o maior número desde o início da pandemia, em março. Com esse dado alarmante, o Estado já tem 2.108 óbitos pela doença e 123.529 casos confirmados. São 1.342 casos a mais do que segunda-feira. Os recuperados já somam 107.061.

Encontram-se em isolamento domiciliar 13.682 doentes. Há 678 pessoas internadas, sendo 375 em leitos clínicos (228 público; 147 privado) e 303 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (209 público; 94 privado).

A Capital registrou nas últimas 24 horas 483 novos casos; Dourados, 227; Maracaju, 77; Três Lagoas, 52; Ponta Porã, 44; Amambaí 36; Caarapó, 35; e Chapadão do Sul, 34.

Campo Grande, Ponta Porã, Dourados, Corumbá, Rio Brilhante, Fátima do Sul, Cassilândia, Bela Vista, Ribas do Rio Pardo, Miranda, Mundo Novo e Três Lagoas são as cidades que apresentaram mortes nas últimas 24 horas, sendo a maioria na Capital, com 17 vítimas.

“Parte da população não tem seguido as orientações que levam ao distanciamento social, que é um fator importante no enfrentamento da Covid-19; parte substancial da população mais jovem deixou de usar máscaras e de praticar as regras de higiene e faz tudo o que o vírus gosta, principalmente aglomerações”, frisa.  

Colapso

De acordo com dados do programa Mais Saúde, do governo do Estado, dos leitos críticos destinados aos pacientes com casos mais graves em Campo Grande, poucos ainda estavam vagos e a ocupação era acima de 90% na maioria dos hospitais públicos e privados.

A prefeitura e o governo se comprometeram a abrir, até o dia 31 de dezembro, mais 30 vagas em UTIs na Capital, que está com a maior ocupação de leitos do Estado. Segundo dados de ontem do governo do Estado, a região tinha 111% de lotação.  

Esse número é resultado do acréscimo de leitos ainda não pactuados com o governo federal, mas que foram abertos por causa da grande demanda que a cidade enfrenta.

Do porcentual em uso, 59% eram ocupados por casos confirmados de Covid-19 e outros 4% por suspeitos da doença. As outras enfermidades eram responsáveis por 48% das internações na macrorregião.

Dourados também vive um momento complicado, com 90% das vagas no Sistema Único de Saúde (SUS) preenchidas, a maioria por casos confirmados ou suspeitas do novo coronavírus – 32% e 14%, respectivamente. As outras doenças são responsáveis por 44% das vagas.

Por causa desta situação, o Ministério Público de Mato Grosso do Sul ingressou com uma ação civil pública pedindo que as gestões municipal e estadual criem 30 vagas em cinco dias, mas uma reunião na sexta-feira (18) selou o acordo e estendeu esse prazo.