Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PACIENTES DE COVID-19

Mato Grosso do Sul tem menos de 1% dos leitos para coronavírus ocupados

Estado tem a menor taxa entre todos os 26 estados e Distrito Federal
18/05/2020 16:34 - Fábio Oruê


Mato Grosso do Sul tem apenas 0,8% de ocupação dos leitos destinados aos pacientes com a Covid-19. A informação consta no boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (17). O titular da Secretaria Estadual de Saúde, Geraldo Resende, disse, na transmissão ao vivo para divulgação dos casos, que esta é a menor taxa entre todos os 26 estados e Distrito Federal.

O gestor recordou, por outro lado, que a situação de aparente tranquilidade do sistema público de assistência pode trazer falsa sensação de segurança, já que estamos no pico da doença.

Conforme dados oficiais do Governo, o Estado tem 1.172 leitos clínicos, destinados a pacientes menos graves. Somente nove estão ocupados, o que resulta em taxa de 0,6%. Existem ainda 296 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis para as pessoas que vieram a sofrer quadros severos do novo coronavírus, somente quatro estão ocupados, o que resulta em 1,4% de lotação.

Resende apresentou mapas da localização exata de cada um desses leitos. A microrregião de Campo Grande tem 141 leitos de suporte intensivo somente na Capital, cinco em Sidrolândia, sete em Costa Rica e cinco em Chapadão do Sul.

Essas cidades também têm, juntas, mais de 390 leitos clínicos, bem como outras localidades próximas, como Bandeirantes, Camapuã, Maracaju, Nova Alvorada do Sul, Ribas do Rio Pardo, Rio Negro e São Gabriel do Oeste.

A microrregião de Jardim não tem nenhum leito de UTI. Bela Vista e Caracol têm seis leitos clínicos cada uma, Guia Lopes da Laguna (epicentro da Covid-19 no Estado) e Bonito têm cinco, Jardim tem 10 e Porto Murtinho, apenas um.

Já a microrregião de Coxim tem cinco leitos de UTI e unidades de atendimento a pacientes menos graves naquele município (20), Pedro Gomes (2), Rio Verde de Mato Grosso (2) e apenas um em Sonora.

Aquidauana tem apenas dois leitos de UTI para atender a região, bem como seis leitos clínicos. Anastácio e Miranda também têm seis leitos para quadros leves, Nioaque tem seis e Dois Irmãos do Buriti tem 21.

Dourados tem 51 leitos intensivos e 120 clínicos. Caarapó e Deodápolis têm leitos clínicos cada. Fátima do Sul têm 26, Glória de Dourados tem dois, Itaporã tem oito, Jateí tem três, Laguna Carapã tem dois, Rio Brilhante tem 20 e Vicentina, dois.

Ponta Porã conta com 11 leitos de UTI. Todos os sete municípios da região somam 90 leitos clínicos.

Já a região de Nova Andradina tem 18 leitos de UTI mais 65 leitos clínicos. Naviraí e adjacências têm cinco leitos de UTI e 41 unidades clínicas e Três Lagoas têm 16 leitos de UTI (11 no município e outros cinco em Bataguassu), além de 75 leitos clínicos.

 
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...