Clique aqui e veja as últimas notícias!

MAIS PRA MS

Investimento para o esporte de Mato Grosso do Sul em 2021 é o dobro de 2020

Além de receber R$ 1.5 milhão a mais que em 2020, novos critérios serão aplicados
09/12/2020 17:05 - Thais Libni


O projeto de Lei (PL) nº 215/2020, que visa a ampliação do programa de Bolsa Atleta e Bolsa Técnico, foi aprovado em segunda votação, no plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

A aprovação aconteceu nesta quarta-feira e agora segue para sanção do governador Reinaldo Azambuja.

Acompanhe as últimas notícias do Correio do Estado

A proposta pretende melhorar a Lei Estadual nº 5.008, de 1º de junho de 2017, que trata sobre a concessão de benefício a desportistas e técnicos em âmbito estadual.

Em 2019 o recurso disponível era de R$ 1.36 milhão, advindo do Fundo de Investimentos Esportivos (FIE), já para o ano que vem o plano contará com o dobro de investimentos, passando a R$ 2.8 milhões.

O pagamento será efetuado em março de 2021.

De acordo com o diretor-presidente da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), Marcelo Ferreira Miranda, o incentivo do Governo do Estado é extremamente importante para os atletas de MS.

“A Bolsa Atleta e a Bolsa Técnico é o nosso principal instrumento de política pública voltado ao esporte de alto rendimento e um auxílio financeiro essencial para nossos atletas e técnicos. Então, agradeço a sensibilidade dos deputados, que enxergam a importância desse benefício e aprovaram com urgência essa proposta”, pontuou. 

O Relator do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), deputado estadual Rinaldo Modesto (PSDB), parabenizou os incentivos feitos pelo Governo de Mato Grosso do Sul.

“É um programa fundamental que valoriza atletas e técnicos sul-mato-grossenses, e é tão necessário para que continuem treinando e representando o Estado lá fora”, frisou.

Novos critérios para o PL foram elaborados pelo Comitê Gestor da Bolsa Técnico (Cogeb) e Fundesporte, tais como, a valorização do esporte paralímpico, universitário e máster (praticantes com mais de 35 anos), e atletas que tenham participado de competições internacionais representando o Estado. 

A análise será realizada pelo Comitê Gestor do Bolsa Atleta e Fundesporte, a partir do Histórico de Rendimento de cada um, que comprova a classificação em competições de esporte no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2019. 

Ao todo, 11 categorias serão destinadas a atletas e técnicos: Estudantil, Universitário, Nacional, Nacional Paralímpico, Máster, Pódio Complementar, Pódio Complementar Paralímpico, Internacional, Olímpico e Paralímpico, Técnico I e Técnico II.