Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

MS ultrapassa os 26 mil casos da Covid-19 e contabiliza 15 óbitos em 24 horas

Estado chega a 404 óbitos pela doença e tem taxa de letalidade ampliada para 1,6%
02/08/2020 11:31 - Daiany Albuquerque


Mato Grosso do Sul ultrapassou os 26 mil casos da Covid-19 neste domingo (2) e chegou a 26.003 episódios da doença. Nas últimas 24 horas foram 264 novas contaminações confirmadas e 15 mortes contabilizadas. Com isso, a taxa de letalidade da doença cresceu para 1,6% no Estado.

De acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), das 15 mortes, 5 pessoas não tinham comorbidades relatadas. Do total, 4 ocorreram em Campo Grande, 3 em Corumbá e 1 em Sidrolândia, Naviraí, Ladário, Terenos, Maracaju, Dourados, Aquidauana e Miranda.

Com as 15 mortes de hoje a média móvel da semana epidemiológica ficou em 12,4, a maior registrada pelo Estado até agora. “Enquanto nós não tivermos redução de casos em Campo Grande e em Corumbá não teremos redução de mortes no Estado”, alertou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, durante a transmissão dos dados do boletim da Covid-19.

O Estado chegou a 471 pessoas internadas, sendo 7 de outras unidades da federação. São 270 em leitos clínicos (172 na rede pública e 98 na privada) e 201 em Unidades de Terapia Intenvisa (UTIs) – 129 na pública e 72 na rede privada.

“Não vai existir normalidade enquanto não descobrirmos uma vacina contra o coronavírus. Há várias dessas vacinas, pelos pelo menos 4 a 5 em fase avançada e esperamos que até o final do ano, ou começo de 2021 nós já tenhamos vacinas para as pessoas do Brasil e do mundo”, continuou Resende.

Dos mais 26 mil casos, 19.568 pessoas já estão recuperadas e outras 5.567 encontram-se em isolamento domiciliar.

 
 

Felpuda


A lista do Tribunal  de Contas de MS,  com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros  de quando exerceram cargos públicos,  está deixando  muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto  pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!