Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INTERIOR

Detentos do Estabelecimento Penal de Corumbá começam a ser testados para covid-19

Foram destinados mil testes rápidos à unidade, 55 pessoas foram diagnosticadas com o vírus
04/09/2020 13:01 - Gabrielle Tavares


Foi iniciado um mutirão de testagens rápidas para detecção da covid-19 no Estabelecimento Penal de Corumbá (EPC). Foram destinados mil unidades de testes rápidos para a realização da testagem em massa.

Conforme relatório da direção do presídio, 91 reeducandos foram confirmados com a doença no EPC, dos quais 55 identificados no mutirão.  

Eles estão isolados em um espaço próprio. Três celas foram esvaziadas e uma sala transformada em alojamento, todas na mesma área do presídio, com capacidade mínima de 41 vagas.  

De acordo com o diretor do EPC, Amilton Evangelista, caso seja necessário, outras celas serão esvaziadas para garantir o isolamento. Além disso, o dirigente destaca que os internos positivados recebem acompanhamento diário para observar o quadro de saúde. Os familiares estão sendo informados.

Presídio feminino

A ação também está sendo realizada na unidade penal feminina da cidade, com testagens em servidores e internos, mas nenhum caso foi constatado até o momento.

Conforme Elizandra Assis da Silva, diretora do Estabelecimento Penal Feminino Carlos Alberto Jonas Giordano, também não há internas sintomáticas no local.

A ação é um trabalho conjunto entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Secretaria de Estado de Saúde (SES) e Secretaria de Saúde do Município.

Dados do Comitê da Agepen de Enfrentamento à covid-19 apontam que, até o dia 2 de setembro, 895 casos positivos da doença foram contatados entre os custodiados de todo Mato Grosso do Sul, dos quais 82% já estão recuperados.

Entre os servidores foram 155 positivados, destes apenas 20% ainda estão em tratamento. Os números não incluem as testagens realizadas após esse período.

 
 

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!