Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COMBOIO

Na fronteira com MS, Paraguai apreende contrabando de toneladas de açúcar e óleo

Fronteira fechada não impediu comboio de caminhões de entrarem no país vizinho por Paranhos
07/05/2020 16:59 - Glaucea Vaccari


 

Toneladas de açúcar e milhares de litros de óleo de cozinha contrabandeados do Brasil foram apreendidos hoje (7) por agentes da Unidade Interinstitucional para Prevenção, Combate e Repressão ao Contrabando (UIC), do Paraguai. Carga de alimentos estava dividida em três caminhões e apreensão ocorreu na região de fronteira com Mato Grosso do Sul, a cerca de 90 quilômetros de Paranhos.  

Coordenador da UIC, Emilio Fuster, divulgou imagens da apreensão em sua conta pessoal do Twitter.  

“Procedimento em curso em Curuguaty. A UIC, com apoio do Exército, apreende toneladas de açúcar e milhares de litros de óleo. Tolerância zero ao contrabando”, disse Fuster na postagem.  

Três veículos foram parados com o apoio de militares do Exército, em uma rodovia que corta a cidade de Curuguaty, no estado de Canindeyú, próximo de Paranhos, no Mato Grosso do Sul. Cinco pessoas foram detidas.  

Em comentários na rede social, paraguios pediram que os produtos apreendidos sejam doados a instituições de caridade e famílias de baixa renda, enquanto outros pediram apuração rigorosa para saber como o comboio cruzou a fronteira com documentação de carga irregular.

Presidente do Paraguai, Mario Abdo Benitez, também usou o Twitter para divulgar a apreensão. Ele classificou o resultado da ação conjunta como “excelente trabalho”. 

Mercadoria foi encaminhada para a Capital do Paraguai, Assunção, e investigação será feita para apurar qual seria o destino da carga. 

 
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.