Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTAÇÃO DO ANO

Na primavera índice de temporais e raios são maiores; saiba como se proteger

Tempestades, ventos fortes e raios serão intensos até o fim do ano, segundo meteorologistas
19/10/2019 18:10 - BRUNA AQUINO


 

A primavera, que vai até 22 de dezembro, é a estação do ano que nem tudo são flores. É também a estação com a maior incidência de temporais e raios, segundo meteorologistas. No sábado (18), em Campo Grande, tempestade que durou cerca de uma hora foi o suficiente para causar vários estragos com alagamentos em algumas e contabilizou cerca de 173 raios em apenas uma hora, segundo o meteorologista Natálio Abrahão. 

Com as chuvas, os índices de raios e acidentes elétricos são grandes. Em Campo Grande, segundo o Elat, a densidade de descargas foi registrada em 4,6592516252 por km²/ ao ano e o  município está entre 46° entre as cidades de Mato Grosso do Sul em que mais tem incidência de raios. Em nível nacional, a cidade ocupa o 1829° lugar. 

Um estudo desenvolvido pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) aponta que, neste verão, a incidência de raios em todo o país será marcada pelos efeitos do fenômeno climático El Niño.

As previsões indicam que a intensidade do fenômeno vai provocar um aumento na incidência de raios nas regiões Sul (cerca de 50%) e Sudeste do país (em torno de 20% a 30%). Para uma parte do Centro-Oeste, a estimativa de aumento também é de 20% a 30%, como no caso do Mato Grosso do Sul, onde duas mortes por raios já foram registradas nesta primavera. No Mato Grosso e Goiás, a quantidade de raios poderá aumentar 10%.

Por outro lado, no Norte e Nordeste do país, deve haver uma queda de 50% na incidência de raios. A primavera na região Norte já apresenta apenas 10% da ocorrência média para a região neste período do ano.

ACIDENTES ELÉTRICOS
Segundo dados obtidos pela Associação Brasileira de Conscientização dos Perigos de Eletricidade (Abracopel) e divulgados em maio deste ano, em 2018 foram registrados 1.424 acidentes com origem elétrica em todo o país. O número representa tanto casos fatais como não fatais, sendo 836 acidentes por choques, 537 acidentes por incêndios por sobrecarga ou curto-circuito e 51 acidentes envolvendo raios. Ainda segundo a Abracopel, houve aumento de 2,67% em comparação ao número de casos de 2017.  

Na semana passada, um empresário de 42 anos levou uma descarga elétrica ao tentar arrumar a placa da fachada do seu estabelecimento, no bairro Universitário em Campo Grande. A placa havia saído do lugar devido aos ventos do fim de semana, e ele acabou recebendo uma descarga elétrica de cerca de 7.900 watts. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e sobreviveu. 

Quem cuida de todas as ocorrências é a Defesa Civil de Mato Grosso do Sul. Em casos de ocorrências com tempestades e ventanias, o coordenador estadual de Defesa Civil, tenente coronel Fábio Catarineli, dá algumas dicas de como a população deve agir em caso de condições adversas de tempo.

-Nas residências ou apartamentos
Não tentar consertar o telhado quando estiver chovendo. Desligar aparelhos elétricos. Verificar galhos muito próximos a fiação, ou em estado de putrefação. Caso haja, providenciar a poda preventiva com profissional/empresa capacitada para fazê-lo. Verificar calhas a fim de evitar entupimentos nas saídas de água da residência. E nos condomínios onde há pára-raios, verificar se está de acordo com as normas de segurança.

-Nas ruas
Se estiver em via pública, e notar que a água ultrapassou o meio fio, a orientação é fazer o desvio. Não é seguro avançar em áreas alagadas, pois há risco de cair em bueiros ou furar o pneu do veículo. A exemplo da Capital que possui muitos córregos, pode ocorrer enxurradas fortes. Em caso de chuvas de granizo, importante buscar abrigo seguro. Se estiver dentro do veículo, procurar lugar seguro, de preferência longe de árvores. Também é importante evitar estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.

A dica maior de acordo com o coordenador, é não se colocar em posição de risco, seja de moto, carro, bicicleta, ou a pé, e em caso de acidentes, acionar o Corpo de Bombeiros pelo número 193. “A Defesa Civil junto com o Cemtec segue monitorando, e em caso de risco de tempestades irá emitir alerta via SMS para os números cadastrados das regiões que possam ser afetadas”, pontua.

SMS E DEFESA CIVIL
Para se cadastrar e receber os alertas emitidos pela Defesa Civil no celular, é necessário enviar um SMS com o seu CEP para o número 40199. O serviço é gratuito e visa prevenir a população para ocorrência de acidentes e desastres naturais.

 

 

 

Com informações do Governo do Estado

 

 






 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.