Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

"Não adianta colar peça de barro", diz prefeito sobre estragos da chuva

Marcos Trad disse que estrago foi bem menor que no ano passado
27/02/2020 13:30 - Bruna Aquino


 

Após a chuva forte que atingiu Campo Grande na semana passada e causou diversos transtornos à população, apenas nesta quinta-feira (27), durante agenda pública o prefeito Marcos Trad (PSD) falou sobre o assunto e garantiu que os pontos mais afetados da cidade - avenida Rachid Neder por exemplo — 90% já foram consertados. 

Um dos pontos mais críticos foi na avenida Ernesto Geisel. Segundo Trad, equipes estão trabalhando e até o fim de semana devem terminar de recuperar a placa de concreto que caiu dentro do córrego. No entanto, o prefeito destacou que se chover da mesma forma que antes vai estragar novamente até que se faça um trabalho mais complexo com a ajuda do Governo Federal. “Não adianta apenas ir lá e colar peça de barro, na próxima chuva vai danificar novamente, desde 2017 nós pedimos 50 milhões para corrigir esses pontos e até hoje não foram liberados e não tem nem previsão”, disse. 

A obra da Ernesto Geisel já chega a R$ 52,5 milhões conforme publicou hoje o Correio do Estado. Isso porque, um dos três contratos das obras de manejo de águas pluviais, controle de erosão e revitalização da Avenida Ernesto Geisel foi reajustado e em dois anos, os aditivos à obra já superam R$ 4,7 milhões.

Sobre outros locais, o prefeito disse que as equipes vão continuar os trabalhos de limpeza e reparo em parte do Nova Lima e Estrela do Sul por conta da chuva de ontem (26). 

HOMENAGEM
Durante sessão ordinária desta quinta-feira (27) na Câmara Municipal, os vereadores assinaram uma moção de congratulação — uma espécie de homenagem — ao secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep) Rudi Fiorese e equipe, pelos trabalhos realizados após a chuva da semana passada.

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.