Clique aqui e veja as últimas notícias!

FINADOS

Expectativa de venda dos ambulantes aumenta no primeiro feriado de finados da pandemia

Secretaria de Saúde do Estado lembra que prevenção à Covid-19 não pode ser esquecida durante visitas aos cemitérios
28/10/2020 19:04 - Brenda Machado


Para garantir o melhor ponto de vendas, teve quem começou cedo a demarcação de lugar na frente do cemitério.

O casal de ambulantes, Lurdes de Oliveira, de 59 anos, e Cristovão Gonçalves, de 47, foram os primeiros ambulantes a chegar no cemitério Santo Antônio.

Ainda faltam cinco dias para o feriado de finados, mas, segundo eles, esse é o único jeito de conseguir o melhor ponto.

"A gente chegou hoje cedo pra começar a montar as coisas e posa aqui até o dia, tipo ficar acampado mesmo.", disse Lurdes.

A mulher explicou que trabalhava na barraca de outra senhora, que acabou falecendo, depois montou sua própria. Foi lá que aprendeu a montar os arranjos.

São 23 anos trabalhando com vendas somente na frente do mesmo cemitério público.

E apesar de 2020 estar sendo difícil, a pandemia trouxe outra perspectiva para os ambulantes. Com o aumento no número de mortes, de pessoas que nem puderam se despedir como gostariam, espera-se que a movimentação dos cemitérios, neste feriado, seja maior.

Na tenda do casal são vendidas flores, arranjos e velas.

Cristovão, que também trabalha como artesão, disse que agora eles se prepararam mais, pra não acontecer como no ano passado, que toda mercadoria acabou antes das 13 horas.

Assim como nos feriados anteriores, neste os dois vão trabalhar ainda mais em zig zag.

"Funciona assim, como a gente não tem capital pra comprar tudo que precisa de uma vez, a gente vende um pouco, aí, enquanto um fica aqui, o outro sai pra comprar mais flores e velas,. Porque os jarros pros arranjos são nossos, já estão todos aqui, é só montar depois.", completou a ambulante.