Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SURTO ATIVO

Notificações de sarampo em MS aumentaram 42% em uma semana

Estado entrou na lista dos locais com surto ativo
17/09/2019 17:35 - FÁBIO ORUÊ E NATALIA YAHN


 

Notificações de sarampo em Mato Grosso do Sul tiveram um aumento de 42% em sete dias, passando de 35 comunicados para 50. O aumento vem junto com a introdução do Estado na lista de locais com surto ativo, após o primeiro caso confirmado da doença, de um homem de 52 anos, em Três Lagoas, no dia 4. 

O Ministério da Saúde define que se há caso confirmado, há surto ativo, independente do caso ser importado ou não. No Estado, os dois confirmados, do homem e da bebê de 10 meses, comprovado no dia 9, são importados. 

A Secretaria de Saúde Estadual (SES) informou que não há circulação do vírus do sarampo em Mato Grosso do Sul, porém, a vigilância adotou medidas necessárias frente a situação, como ações de investigação, bloqueio vacinal e isolamento em relação aos casos suspeitos, desde a notificação inicial.

Em Campo Grande, segundo a Secretaria Municipal, são 18 casos notificados, não contando a menina de 14 anos, que apresentou suspeita da doença na cidade. Em todo o Estado, 18 pacientes que ainda estão em investigação, entre eles a menina de oito anos de Corumbá, que veio até a Capital, e posteriormente apresentou os sintomas.

CASOS 

Entre os casos confirmados está uma bebê de apenas 10 meses, que foi diagnosticada após testes realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ela viajou para o estado de São Paulo, em agosto, e quando na volta para Campo Grande começou a apresentar os sintomas. 

 

Além da bebê, foi confirmado o primeiro caso do Estado em Três Lagoas, sendo de um homem de 52 anos. Ele esteve recentemente em Jundiaí (SP), onde apresentou os primeiros sintomas de sarampo e retornou a Três Lagoas, cinco dias após o início do “exantema” (manchas e erupções cutâneas, sintomas típicos da doença).

Por meio de nota, a SES informou que a contaminação do paciente ocorreu em Guararema (SP). Segundo o texto, os sintomas apareceram em 19 de agosto e a coleta ocorreu no período que o paciente se encontrava no estado de São Paulo.

RECOMENDAÇÃO

A vigilância estadual enfatiza a necessidade de vacinação aos grupos prioritários. A dose zero da vacina contra sarampo para bebês entre seis meses e 11 meses e 29 dias é aliada ao calendário de rotina para imunização contra a doença. Além dela, existe a dose um (tríplice viral), para crianças a partir de 12 meses e a dose dois (tetraviral), para bebês de 15 meses.

 A vacinação de rotina contra o sarampo deve ser mantida na população de um ano até 49 anos de idade, considerando-se o histórico anterior das vacinas que contenham componente sarampo, conforme o calendário vacinal.

 

 

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.