Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLETIM

Número de casos de Covid-19 em MS triplica em 14 dias

Macrorregião de Dourados apresentou aumento de mais de cinco vezes no mesmo período
15/06/2020 12:47 - Adriel Mattos


O número de casos de Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) triplicou em duas semanas. O secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende, explicou que o crescimento pode ser observado com base no comportamento de outras doenças respiratórias.

“Avisamos por várias vezes que haveria um grande aumento no número de casos entre a 21ª e a 25ª semana epidemiológica, o que veio a se confirmar. Verificamos que na semana passada tivemos três vezes mais casos que na 23ª semana, ou seja, triplicamos o número em duas semanas”, relatou durante transmissão ao vivo do Governo do Estado na rede social Facebook.

Na semana passada, a pasta confirmou 1103 casos, 714 há duas semanas, 560 três semanas atrás e 350 há quatro semanas. Nas últimas 24 horas, o Estado registrou mais 118 casos e duas novas mortes.

 
 

CENÁRIO

Enquanto as macrorregiões de Campo Grande e de Dourados estão em uma curva ascendente de casos, as macrorregiões de Três Lagoas e de Corumbá apresentam queda nos registros.  

Na região de Três Lagoas, foram registrados 21 casos na 21ª semana epidemiológica, 45 na 22ª semana, 23 na 23ª semana, e na semana passada, mais uma vez foram confirmados 23 casos. A parcial desta semana é de 13 confirmações.

Na macrorregião de Corumbá, 19 casos foram confirmados na 21ª semana, oito na 22ª semana, 60 na 23ª semana, e na última semana, 46 casos foram confirmados. Até esta semana, nove casos foram registrados.

Por outro lado, a região de Campo Grande vinha em curva descendente de casos. Apesar do aumento na 21ª semana, que teve 189 casos contra 90 na 20ª semana, a Capital e os municípios do entorno registraram 159 e 139 casos nas duas semanas seguintes, respectivamente. Porém, esse número saltou para 350 na semana passada e já soma 87 confirmações nesta semana.

Macrorregião que mais preocupa as autoridades estaduais, Dourados observa um crescimento cada vez maior a cada semana. Na 20ª semana, eram 37 casos, 121 na 21ª semana, 348 na 22ª semana e 492 na 23ª semana. Na semana passada, o número de confirmações foi de 684 e até esta semana, foram feitos 207 novos registros.

Resende pediu que os municípios acompanhem cada vez mais de perto os pacientes em quarentena. “Quero pedir aos secretários e secretárias municipais que coloquem suas equipes de Vigilância em Saúde e de atenção primária para acompanhar a quarentena de todos os seus pacientes e seus contatos, porque essa é uma das medidas mais importantes para controlar a pandemia”, destacou o secretário.

 
 

DADOS ESTADUAIS

Hoje, Mato Grosso do Sul chegou a 3.551 casos. Entre ontem e hoje, mais 118 casos foram confirmados. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) também notificou mais duas mortes, totalizando 33 no Estado.

A primeira trata-se de um idoso de 81 anos, que morreu no domingo (14) em Dourados, e era hipertenso. A segunda morte é de outro idoso, de 67 anos, portador de doença renal crônica, que faleceu em Deodápolis no último sábado (13).

Dos 118 novos casos, 59 foram registrados em Dourados e 36 em Campo Grande. Fátima do Sul e Itaporã confirmaram cinco casos cada. Caracol, Corumbá, São Gabriel do Oeste e Vicentina registraram novos dois casos cada.  

Cassilândia, Deodápolis, Iguatemi, Maracaju e Paranaíba confirmaram um novo caso cada. Procedimento que já é comum, Ladário eliminou um caso de sua base de dados. Isso acontece quando as autoridades locais identificam que o paciente apenas recebe atendimento na cidade e não reside no município.

Mais 88 pessoas se recuperaram da Covid-19, totalizando 1.907. 80 pacientes estão internados, sendo 47 em leitos clínicos e 36 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Duas pessoas de São Paulo e um boliviano são tratados no Estado, mas não contabilizadas pela SES.

Dessas 47 pessoas em leitos clínicos, 20 estão em leitos públicos. As outras 26 estão em hospitais privados, e mais uma de São Paulo ocupa leito privado. Entre os 36 internados em UTI, 21 ocupam leitos públicos e 15 pessoas estão em hospitais privados. Com isso, a taxa de ocupação de leitos clínicos é de 7,2% e dos de UTI é de 19,6%.  

 

Felpuda


Entre sussurros, nos bastidores políticos mais fechados, os comentários são que história apregoada por aí teria sido construída para encobrir o que realmente foi engendrado em conversa que resultou em negociata. 

O script foi na base do “você finge que é assim, e nós fingimos que acreditamos”. 

Batido o martelo, a encenação prosseguiu e, conforme o combinado, deverão ser apresentados novos episódios.

Ah, o poder!