Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTRUTURA

Número de leitos de UTI para Covid-19 tem redução na Capital

Secretaria de Saúde alega que em Mato Grosso do Sul houve aumento de 36% na disponibilidade de vagas
15/04/2020 10:00 - Thiago Gomes


 

A nova reestruturação voltada para pacientes com coronavírus em Mato Grosso do Sul reduz em dez o número de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para adultos em Campo Grande, em comparação com o mapeamento divulgado na semana passada. O mapa hospitalar atualizado foi publicado nesta terça-feira, no Diário Oficial do Estado. Apesar dessa diminuição, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) alega que houve um aumento de 36,3% na disponibilidade de vagas em UTIs no Estado.  

No Plano de Contingência Estadual para Infecção Humana pela Covid-19, divulgado no dia 6 deste mês, por exemplo, o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS) indicava 136 leitos clínicos adultos disponíveis, seis clínicos pediátricos, 39 leitos de UTI adulto e dois leitos de UTI pediátricos. No novo mapa, desta terça-feira, são os mesmos 136 e seis para adultos e crianças, porém, somente 29 vagas em UTI para adultos.  

Com oito unidades hospitalares com leitos para o tratamento da Covid-19, conforme a SES, Campo Grande tem 180 leitos clínicos adultos disponíveis, 11 leitos clínicos pediátricos, 43 leitos de UTI adulto e quatro infantis, no Regional e no Hospital Universitário.

Em ampliação, seriam mais 239 leitos clínicos e 71 leitos de UTI adulto, passando a contar com o possível reforço da Santa Casa, Hospital de Câncer Alfredo Abrão, Hospital Adventista do Pênfigo, Proncor, El Kadri e Clínica Campo Grande.

Em Mato Grosso do Sul, ainda de acordo com a SES, dos leitos já existentes, 672 leitos clínicos, 157 leitos pediátricos, 65 UTI adulto e seis UTI pediátricos serão destinados exclusivamente a casos de Covid-19. Em ampliação, seriam mais 311 clínicos adulto, 13 leitos pediátricos e 187 leitos de UTI adulto.

NECESSIDADE

Segundo dados recentes do Ministério da Saúde, o Brasil tem uma oferta de 55.101 leitos de terapia intensiva, dos quais 27.445 são do SUS, mas 78% do total já está ocupado.  

O Ministério quer otimizar a utilização das unidades ociosas e também pretende recorrer ao uso de leitos não ocupados da rede privada.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a existência de um a três leitos de UTI para cada 10 mil habitantes. Hoje, o Brasil tem 2,6 leitos de UTI para cada 10 mil habitantes, mas só metade disso pertence ao SUS.

BOLETIM

Conforme boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira pela Secretaria Estadual de Saúde, Mato Grosso do Sul tem 115 casos confirmados do novo coronavírus, com quatro mortes.  

Do total de casos, 46 pacientes encontram-se em isolamento domiciliar; 39 fizeram quarentena e estão sem sintomas (teoricamente curados); 15 internados (seis em leitos da rede pública, sendo três em UTI; e nove em leitos de hospitais privados, sendo quatro ocupando vagas em UTI).

No perfil dos pacientes, 45% são do sexo masculino e 55% do sexo feminino. As quatro mortes ocorreram em Batayporã (duas) e Campo Grande (duas). As quatro vítimas são do sexo feminino. As duas de Batayporã tinham 64 (comorbidades – pneumopatia crônica) e 66 anos (hipertensão e diabetes), e as de Campo Grande, 71 (cardiopatia e diabetes) e 63 anos (câncer).

Em relação às idades, 1,7% dos infectados em Mato Grosso do Sul tem entre 0 e 9 anos; 20% têm 60 anos ou mais; e 26,1% têm idades entre 30 e 39 anos.

 
 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.