Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Número de pessoas curadas de Covid-19 volta a crescer em MS

Estado tem 2.253 casos do novo coronavírus, pressionado por Dourados, que já soma 571
08/06/2020 08:00 - Daiany Albuquerque, Thiago Gomes


Apesar do aumento exponencial de casos do novo coronavírus, com 2.253 testes positivos, o número de pessoas curadas de Covid-19 em Mato Grosso do Sul voltou a crescer. Mais de 50% – 1.163 – dos contaminados já não apresentam mais sintomas. Outros 1.020 pacientes, com sintomas leves da doença ou mesmo sem sintomas, estão em isolamento domiciliar. Os internados, em leitos clínicos e de unidade de terapia intensiva, somam 50 (um é de Mato Grosso).

Os registros de curados aumentaram 137 de sábado para domingo, saltando de 1.026 para 1.163. Os números são da Secretaria Estadual de Saúde (SES). As ocorrências de cura haviam entrado em queda há 15 dias, quando os episódios de novas contaminações ficaram em ritmo acelerado. Neste domingo, a SES iniciou a contagem de mais uma semana epidemiológica da pandemia. A 22ª semana fechou no sábado, com 714 novos registros de Covid-19, contra 560 do período anterior.

Ontem, com mais 121 exames positivos para o vírus, 28 pacientes encontravam-se em tratamento em hospitais públicos e 22 em privados. São 21 óbitos até então. A Capital tem 388 positivos.

DOURADOS

Dourados é o epicentro de Covid-19 no Estado. Neste domingo, a cidade teve mais 78 confirmações e inicia a semana com 571 episódios, número que deve mudar no próximo boletim, a ser divulgado às 10h de hoje. Municípios que fazem parte da grande Dourados também preocupam, como Fátima do Sul, que tem 153 positivos para o vírus.

Dourados tem ainda 738 casos para serem fechados no sistema estadual de acompanhamento da pandemia, o que pode significar um crescimento mais expressivo nos próximos dias.  

A cidade é a localidade de MS com o maior número de casos e a sétima em relação à incidência por 100 mil habitantes. Entretanto, municípios pequenos como Douradina (com 69 registros), o segundo em incidência de casos, também foram afetados.

“Vemos com preocupação esse aumento exponencial que está acontecendo e se mantendo há mais de 15 dias, isso mostra uma taxa de reprodução altíssima em Mato Grosso do Sul, nós estamos muito preocupados, porque, apesar do nosso apelo diário, nós estamos tendo uma adesão ao isolamento social muito ruim em Mato Grosso do Sul”, reclamou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

O secretário ressaltou que esse aumento de casos também tem resultado em aumento nas internações. Das 50 pessoas que ocupam leito clínico ou de UTI em Mato Grosso do Sul, 29 são de Dourados.  

“Nós estamos vendo que quase 60% dos casos de internação, tanto em leitos públicos como em leitos privados, estão na região de Dourados, que mais uma vez mostra relação muito próxima com o aumento de casos e internações. Se mantivermos esse aumento muito grande, daqui a pouco, o número de leitos, tanto clínicos como de UTIs, na região deverá ser ocupado, e a taxa de ocupação poderá estar próxima daquelas que verificamos em alguns estados brasileiros, ou seja, com colapso da nossa rede de saúde”, alertou Geraldo Resende.

 
 

Terenos também “entra no mapa”

O município de Terenos registrou seu primeiro caso do novo coronavírus, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) neste domingo. A cidade tem apenas 21.806 habitantes. Entretanto, as atenções do governo do Estado ainda está voltada para a região de Dourados, pela grande quantidade de confirmações. Dos 79 municípios do Estado, 52 (66%) têm casos confirmados de Covid-19.

 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!