Clique aqui e veja as últimas notícias!

ENSINO

"Novos velhos problemas": o que esperar da educação para o ano letivo de 2021?

Para especialista, enquanto situação não se normalizar, alunos continuarão com dificuldades de acesso
17/01/2021 12:36 - Ricardo Campos Jr


Os calendários letivos de 2021 estão desenhados com direito até a planos de biossegurança para o caso de encontros presenciais entre alunos e professores, mas o que esperar do ensino em 2021? 

Na opinião de especialistas, a normalidade depende da disponibilidade de medicamentos ou vacina que freiem a pandemia, então há o receio de que os problemas evidenciados este ano se repitam.

Segundo o doutor em educação Antônio Osório, a maior dificuldade é o acesso às tecnologias necessárias para garantir um mínimo de aprendizagem. 

“Passamos esse ano na improvisação. Tivemos muitos problemas. Muitos não tiveram os recursos necessários para acompanhar as aulas. O problema não são as ferramentas. O problema é o acesso aos bens tecnológicos. Você pode ter excelentes ferramentas, mas fizemos uma pesquisa no decorrer de 2020 e encontramos situações de mães com três filhos que só ela tinha celular. Os alunos só conseguiam ver o conteúdo de noite, quando ela chegava do trabalho”, pontua. 

Osório diz que a expectativa dele é que a situação se normalize o mais rápido possível, mas até lá, professores, diretores, equipes das escolas, pais e alunos vão ter que continuar se adaptando cada dia mais para vencer os desafios da educação em períodos de pandemia. 

“E muito equivocado achar que o problema da educação é exclusivamente pedagógico. Ele decorre de vários aspectos, culturais e sociais. Isso é uma coisa reducionista, acreditar que é uma questão pedagógica. Na verdade, as famílias são vítimas de toda essa questão. Independente da pandemia, as pessoas já vinham sofrendo essa questão de ordem social”, afirma o doutor em educação.