Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPECIAL

O que fazer na quarentena: como aproveitar os dias em casa na pandemia

Ainda há um longo período até a vacina do coronavírus, até lá ainda há tempo para aprender coisas novas
03/09/2020 14:01 - Gabrielle Tavares


A pandemia da covid-19 atinge em setembro a marca de seis meses presente no cotidiano dos brasileiros. Foram inúmeras mudanças que precisaram ser feitas, ensino remoto, home office, terapia online, festa de aniversário por videochamada. No marketing, as empresas vendem a adaptação como o novo normal, mas na vida real, as pessoas só estão preocupadas em sobreviver.

Negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. A psiquiatra suíça Elisabeth Kubler-Ross propôs em seu livro “Sobre a morte e o processo de morrer”, de 1969, o modelo Kübler-Ross, que separa nesses cinco passos o processo de luto de quem perde uma pessoa querida.

Não é possível comparar a morte de uma pessoa com a perda da realidade comum, causada pela pandemia do coronavírus. Mas se Kubler-Ross nos permite, cada pessoa em quarentena forçada já deve ter passado por seus cinco passos.

Não importa em qual estágio você está, ou varia em torno dos cinco ao longo de um dia só, mesmo que todos já estejam cansados de ficar em casa, ainda há um longo caminho até a vacina. O pico da pandemia estava previsto para abril, já estamos em agosto e a Secretaria de Saúde de Mato Grosso do Sul ainda não confirmou o auge da doença no Estado.

Para ajudar nesse momento complicado, a reportagem do Correio do Estado preparou um especial com dicas sobre como passar o tempo na quarentena.

 
 
 

O que fazer na quarentena: dicas

Ao longo da reportagem, poderá ver sugestões de estudos, lazer, esporte, comida e até atividades para fazer com as crianças.  

Ler ou estudar algo novo

O período de reclusão pode ser aproveitado para aprender um novo hobby, um novo curso, ma nova língua, ou ainda terminar a pilha de livros que começou, mas não teve tempo de terminar.  

Uma série de universidades renomadas oferecem cursos gratuitos online, em que só é preciso pagar se quiser receber o certificado. Entre elas estão a Harvard,  Yale e Stanford.  

Já para quem prefere uma instituição brasileira ou não pode pagar pela emissão dos certificados, a FGV oferece mais de 100 cursos, com comprovação de horas complementares. Além disso, a Universidade Federal de São Paulo (USP), eleita a melhor da América Latina, possui cursos em diversas áreas do conhecimento. Alguns precisam pagar para receber a certificação, outros não.

Se exercitar

A importância da atividade física é discutida desde épocas remotas, como evidenciado em escritas gregas e chinesas. De acordo com pesquisa realizada por Francisco Pitanga, doutor em saúde coletiva, existem evidências significativas sobre a influência da atividade física na melhoria da eficiência do sistema imunológico.  

“Fato que pode reduzir a incidência de alguns tipos de câncer e melhorar a resistência de pacientes com AIDS. Por outro lado, a adoção de estilo de vida ativo fisicamente, irá proporcionar mudança de comportamento dos indivíduos”, defende o pesquisador em seu artigo “Epidemiologia, atividade física e saúde”

Apesar de o exercício físico proporcionar um estilo saudável necessário em um período de pandemia, as mesas condições tornam arriscada a prática em conjunto, como em academias e aulas em grupo.  

O professor de yoga Kalel Morrison Diniz Brasil, aponta que a prática, que surgiu na Índia há mais de cinco mil anos, pode ser uma boa opção para quem deseja abandonar o sedentarismo ou precisa adaptar a maneira que realiza atividades físicas.

“Esse período trouxe muita reflexão, e o yoga ajuda a atender esses processos dentro de você, se autoconhecer, se valorizar, se amar. O yoga vai diminuir o nível de estresses e outros problemas psicológicos por causa dos exercícios de respiração e das posturas que liberam hormônios e trazem uma sensação de bem-estar”, explica.

 
 

As posturas rebuscadas podem intimidar, mas o professor garante que não é necessário começar a praticar fazendo posições complicadas. É possível iniciar com alongamentos simples e evoluir gradualmente.

“Uma dica que eu daria para quem vai começar a praticar em casa é entender seus processos, respeitar seu corpo, sua mente, entender que as coisas não acontecem de uma hora para outra e que todos tem seu tempo de evolução”, afirma Kalel.

Uma das alternativas para quem deseja experimentar o exercício é através do aplicativo “Down Dog”, disponível para Android e IOS. Ele disponibiliza algumas práticas totalmente gratuitas, com opção para iniciantes.

Professores do estúdio de yoga “Chakras”, onde Kalel dá aulas, também se adequaram ao período e começaram a dar aulas pela internet.  

“Talvez você não consiga fazer as posturas do jeito que as pessoas estão mostrando, mas todo corpo tem sua limitação”, assegurou o professor.

Meditar

Aliado ao yoga, a meditação também é uma boa opção para aprender a lidar com a quarentena. De acordo com Kalel, que costuma meditar depois de seus treinamentos, o exercício promove autoconhecimento, alivia o estresse, auxilia na concentração e pode ajudar em crises de insônia ou ansiedade.

“Meditação é uma maneira de você se conhecer. Se quiser ver o mundo, abra os olhos, se quiser conhecer o seu mundo, feche. Assim é possível silenciar todo o barulho do dia a dia, todos aqueles pensamentos excessivos, e conseguimos retornar ao nosso ponto de paz, que é dentro de nós”, disse.

Há diversas maneiras de meditar, o ideal é experimentar até encontrar o jeito que se identifique. Pode ser sentado em uma cadeira, almofada, encostado na parede. É necessário encontrar uma posição confortável onde seja possível ficar com a postura alinhada.  

 
 

Depois de se aconchegar, controle a respiração e concentre a atenção em algo, pode ser no próprio corpo ou em algum elemento externo. Pratique de 10 a 15 minutos no começo e aumente de acordo com a própria evolução. “Às vezes as pessoas querem meditar por horas logo no começo, mas não se força”, apontou Kalel.

Existem canais no Youtube que fazem a meditação guiada, entre eles o da Monja Coen, uma monja zen budista brasileira e missionária oficial da tradição Soto Shu, com sede no Japão. Ela criou uma série chamada “Jornada da Quarentena”, com vídeos sobre adaptação, distúrbios e técnicas de respiração.  

“A meditação pode ajudar muito nesse período conturbado, porque você se desprende da sua parte externa e vai para sua parte interna, onde entende que as coisas estão fora do seu controle. Não podemos controlar o tempo e as coisas que podem acontecer conosco, podemos preparar nossa mente para receber esses elementos”, conclui Kalel.

Conversar com amigos e família (por vídeochamada!)

A videochamada invadiu os aparelhos eletrônicos durante a quarentena no mundo todo. Segundo a empresa Google, o uso da plataforma Google Meet ultrapassou 60% do uso diário no mês de março. A demanda é tão grande os servidores do WhatsApp tiveram a capacidade dobrada para evitar sobrecargas.

A estudante de direito Júlia Martins, 22 anos, usou uma das plataformas para comemorar seu aniversário, em abril. Ela conta que nunca deixou a data passar em branco, então quando viu que a festa tradicional não daria certo, procurou rapidamente alternativas para celebrar com os amigos.  

“Eu já tinha visto pelas redes sociais outras pessoas fazendo videochamada no aniversário, aí joguei a ideia para os meus amigos e todo mundo topou. Como convite, escrevi uma mensagem de texto com o link da reunião, falando que todo mundo teria que se arrumar com roupa de sair, e que mesmo nesse contexto a gente ia conseguir tirar algo bom”, comenta.  

Na hora marcada os convidados entraram na sala virtual e cantaram parabéns para a aniversariante. A exigência foi ter um copo na mão para todos brindarem, a distância, mais um ano da vida de Júlia.

“Deu tudo certo na chamada, e ainda consegui juntas grupos de amigos que eu jamais conseguiria presencialmente, pessoas de estados diferentes”, lembrou. 

 
 

Não precisa ser para comemorar uma data específica, a ligação por vídeo pode ser usada para matar a saudade de alguém que não vê há algum tempo, ou só para passar o tempo.

“A videochamada é o que mais se assemelha ao contato físico, a estar presente com a outra pessoa, e é uma alternativa muito boa que se encaixa em várias possibilidades. Além disso, nos faz perceber o quão necessário é o contato físico, porque a gente busca alternativas que se assemelham a esse contato”, considerou Júlia.  

Também é possível fazer a chamada para jogar jogos online, como Gartic, plataforma que reúne pessoas em salas separadas por tema. Um jogador desenha e os outros precisam adivinhar a palavra, ganha a partida quem acertar mais pontos.

Escutar música ou praticar um instrumento

Quando você ouve uma música, múltiplas áreas do seu cérebro são ativadas ao mesmo tempo. O som, melodia, ritmo e letra são processadas separadamente e depois transformadas em uma única experiência em questão de segundos. Tocar um instrumento é ainda mais intenso, fator que pode ajudar no desenvolvimento cerebral.

De acordo com os pesquisadores Sandra Rizzo e Edson Fernandes, o cérebro todo é utilizado ao tocar uma melodia, principalmente o córtex visual, auditivo e motor. A atividade permite ainda que os dois hemisférios do cérebro trabalhem conjuntamente, utilizando capacidades linguísticas e matemáticas.  

“Isso permite que músicos resolvam quaisquer problemas de maneira mais eficiente e criativa, envolvendo áreas acadêmicas e sociais”, dissertaram os pesquisadores no artigo “Neurociência e os benefícios da música para o desenvolvimento cerebral e a educação escolar”.   

Se deseja inciar esse novo hobby, a quarentena pode ser um bom momento. Existem aplicativos que ensinam de forma gratuita diversos instrumentos. Para quem quer aprender violão, uma opção é o Coach Guitar que ensina sem usar teoria, somente através de vídeos que mostram o instrumento sendo tocado na parte de cima e a posição correta dos dedos na parte de baixo.

Se o seu sonho é aprender a tocar bateria, mas não possui uma, o aplicativo ideal é o Real Drum. Ele oferece mais de 60 lições sobre o instrumento e simula uma bateria real na tela do celular. O mesmo acontece em Perfect Piano, que simula um teclado no seu dispositivo e apresenta 70 músicas de amostra para ensinar a tocar.

Colocar os filmes e séries em dia

Na era das plataformas de streamming ficou fácil passar horas na frente da televisão. Na Netflix, vale a pena dar uma chance para os filmes de drama, como “História de um Casamento” e “Roma”, ambos vencedores de categorias do Oscar.  

Quem curte séries pode aproveitar e apoiar as produções nacionais. A “3%” é uma boa opção para quem gosta de realidades utópicas; “Ninguém tá olhando” é para quem prefere comédia, um conteúdo leve em episódios de poucos minutos; em “Boa a boca” um vírus se espalha entre jovens depois de uma festa em que uma pessoa contamina a todos, isso te lembra alguma coisa?

 
 

Para assinantes da Amazon Prime que desejam se emocionar, rir e chorar, a série “This is us” é ideal. Os personagens bem construídos vão te envolver do início ao fim, além disso, o enredo é tão bem construído que dá a impressão que todas as temporadas foram gravadas de uma vez.

Na comédia, a série “Fleabag” entrega em apenas duas temporadas uma história incrível que promete risadas em todos os episódios. Ganhadora de inúmeros prêmios, entre eles dois Emmys e dois Globos de Ouro.

Se já assistiu Fleabag e ficou com um sentimento de que quer mais, “Killing Eve” pode ser uma boa opção, disponível na Globo Play. Também foi dirigido por Phoebe Waller-Bridge, mas dessa vez ela ficou atrás das câmeras e colocou como protagonista a atriz Sandra Oh, conhecida como a Cristina de “Greys Anatomy”.

 
 

Se aventurar na cozinha

Seja por distração ou por necessidade, em 6 meses de quarentena grande parte da população deve ter se aventurado na cozinha. Se alimentar com comidas preparadas de maneira saudável e feitas em casa pode ajudar tanto na saúde física, como na mental.  

O cozinheiro Leonardo Henrico de Siqueira alega que aprender a cozinhar pode ser uma forma de começar a entender e se preocupar com as refeições do dia a dia.  

“A partir daí buscando algo mais saudável ou que se encaixe melhor na dieta e rotina, que tem sido um grande problema durante o isolamento social”, afirmou.

Para os iniciantes, o profissional recomenda estrear com pratos que gosta de comer e, conforme a prática, ir melhorando a receita de acordo com o próprio gosto.  

“Não tenha medo de errar, na cozinha você pode tentar até chegar num resultado que te agrade, sem a necessidade de ser sofisticado ou elaborado demais, fica mais fácil quando você entende como fazer”, acentuou Leonardo.  

Se deseja começar com algo simples, uma boa alternativa é a farofa. Nessa receita o cozinheiro conta seu segredo, “uma boa farofa sempre tem manteiga”. É só colocar um pouco de manteira derretida na panela e fritar a farofa, junto com ingrediente a gosto.  

“Também vale tentar cozinhar a manteiga numa panela separada por alguns minutos, assim você muda o gosto e a cor. Você logo percebe pelo cheiro de biscoitos que ela fica. Mas sempre em fogo baixo, porque a manteiga queima fácil”, contou.

Já para quem é experiente, a dica é não ter medo de se desafiar. “Procure expandir as dificuldades das receitas, dos preparos, das técnicas, tudo parte do momento em que você quer ser melhor em algo e se sente disposto a tentar. Tudo é aprendizado, mesmo os erros não são perdidos, você só sabe onde não errar de novo se você tentar antes”, finalizou Leonardo.

 
 

Trabalhar em home office

O trabalho remoto se popularizou no período quarentena causado pela pandemia do coronavírus, mas ele já era uma realidade para 3,8 milhões de brasileiros antes de 2020, segundo um levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2018.

Em 2019, o Instituto Ipsos divulgou uma pesquisa onde mostrou que 49% dos brasileiros que já possuem empregos desejavam trabalhar de casa, e 55% de desempregados queriam achar um emprego que fosse possível trabalhar em home office.

Mas o ambiente caótico e as notícias de aumento dos casos diariamente podem tornar o ambiente de trabalho em casa estressante. Confira algumas dicas para evitar a perda na produtividade:

— Planejamento: Fazer uma lista com o que precisa fazer no outro dia pode ajudar a estabelecer o que é prioridade. Assim você já sabe o que precisa fazer no momento em que começa o expediente e não perde o foco;

— Rotina de trabalho: levantar cedo, tirar o pijama e criar um ambiente de trabalho são importantes para manter uma rotina. No home office o ambiente de lazer e de trabalho podem se confundir e você acaba não fazendo direito nenhum dos dois;

— Ambiente confortável: invista em acessórios que vão te proporcionar conforto, como mesa e cadeira adequados, um ambiente arejado e iluminado;  

— Tenha pausas: é importante tirar um tempo para descansar mente e corpo, trabalhar durante várias horas seguidas pode ser prejudicial.

 
 

O que fazer na quarentena com as crianças

A quarentena pode ser um período desafiador para quem tem crianças em casa. Elas podem não entender a importância do isolamento social e mantê-las distraídas sem deixar o ambiente familiar é uma tarefa difícil.

A opção é realizar tarefas que sempre eram adiadas, como montar um álbum de família e fazer uma árvore genealógica. Se as fotos da família já estiverem todas impressas, talvez seja hora que tirar novas. É possível criar cenários coloridos, figurinos extravagantes e realizar um ensaio fotográfico, com várias poses divertidas.

Também é possível fazer um acampamento no quintal de casa. Armar a barra com o auxílio das crianças, preparar comidas gostosas e talvez até uma fogueira. O ambiente externo vai ajudar os pequenos a esquecerem o longo período dentro de casa.  

 Ajudar na organização da casa

Afazeres domésticos podem gerar vários benefícios nas crianças, como senso de responsabilidade, habilidades motoras, independência, importância do trabalho em equipe e de cooperação. Na quarentena, as tarefas podem ainda os manter ocupados.

Atividades podem ser introduzidas desde os 2 anos, mas devem ser medidas para não sobrecarregar as crianças:

— 2 a 3 anos: guardar livros e brinquedos no lugar, comece ensinando como se fosse uma brincadeira e aos poucos a criança vai criar senso de organização. Também é possível ensinar a colocar a própria roupa suja no cesto depois do banho;

— 4 a 5 anos: incentive seu filho a levar o próprio prato de comida até a pia e peça auxílio para ajudar na organização de alguns objetos da casa, como sapatos, roupas e camas;  

— 6 a 7 anos: oriente a retirar o lixo do banheiro, arrumar a cama sozinho e dobrar algumas roupas. Regar as plantas e colocar ração para o animal de estimação também é uma boa opção;

— Acima dos 8 anos: a partir dessa idade a capacidade motora é melhor, já é possível delegar maiores funções sem correr o risco de acidentes, como preparar a mesa para refeições, guardar compras do supermercado e ajudar a preparar refeições.

Aprender receitinhas divertidas na cozinha

Cozinhar com os filhos podem ser educativo e prazeroso. Na quarentena, a cozinha pode ser um ambiente para criar laços com as crianças.  

O ideal são receitas fáceis e rápidas, sempre com supervisão de um adulto para evitar acidentes com facas e fogo. A mini-pizza pode ser uma opção gostosa para o lanche da tarde, confira a receita:

Ingredientes:

1 pão de forma fatiado

200 g de presunto

200 g de queijo

1 tomate

Molho de tomate

Orégano

Preparação:

Separe as fatias do pão, cada um será uma base de pizza; passe o molho de tomate; coloque presunto, queijo, orégano e tomate picado; leve ao forno a 180 °C por 10 minutos.

 
 

Se divertir com jogos de tabuleiro

Quem deseja aproveitar a quarentena para ter um tempo com a família pode apostar em jogos de tabuleiro, como dama e xadrez.

Outro clássico, Imagem e Ação, tem versão gratuita disponível para o celular, o que garante bons momentos de diversão entre a família.

Ensinar brincadeiras antigas

Além de poder passar o tempo na quarentena com seu filho, é possível garantir que a próxima geração conheça brincadeiras que marcaram seu tempo. Na era dos jogos online, sair para brincar no quintal pode ser benéfico para a saúde da criança.

Se não lembra mais das brincadeiras antigas, aqui vai algumas dicas:

— Telefone sem fio:  

— Jogo da memória;

— Amarelinha;

— Passa-anel;

— Elefante colorido;

— Cirandinha.

Conclusão

São muitas atividades para realizar neste período de quarentena, mas o mais importante é cuidar da saúde, tanto física, quanto mental. Não fazer nada também é importante para descansar e espairecer. Se tem encontrado dificuldades de começar a realizar tarefas no isolamento social, não é preciso se culpar por isso, sobreviver a 2020 já é uma conquista.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!