Clique aqui e veja as últimas notícias!

INFRAESTRUTURA

Dique de contenção de enchentes de Porto Murtinho será concluído em março

Após o desabamento, a recuperação do dique foi orçado em R$ 1,6 milhão
06/02/2021 12:25 - Brenda Machado


A entrega da restauração do dique de contenção de enchentes às margens do Rio Paraguai, no município de Porto Murtinho está prevista para ser concluída em março.

Cerca de 60 metros de extensão do muro do dique veio abaixo, em 28 de outubro de 2020, por causa da força da água das chuvas, ligada a um histórico de infiltrações e erosões e, desde então, a Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) está conduzindo uma obra emergencial na área.

Últimas Notícias

Atualmente, as equipes trabalham na restauração e reforço da cortina de contenção do dique. Nesta primeira fase do projeto, também estão sendo realizados o calçamento, paisagismo e a instalação do guarda corpo.

“Estamos com 95% da obra executada”, informou o engenheiro da empreiteira Bandeirantes, Sidney José Carvalho Teixeira.

O orçamento da reestruturação ficou em R$ 1,6 milhão e, após a entrega no próximo mês, a Agência partirá para a segunda fase do projeto, a manutenção.

“A intervenção do Governo do Estado nos tranquiliza quanto à segurança para conter as enchentes, além da urbanização da área”, diz o prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra.

Histórico

A estrutura foi construída em 1985, pelo Ministério dos Transportes, e tem 9,7 quilômetros de extensão.

O dique circunda todo o perímetro urbano de Porto Murtinho, que tem duas características interessantes: além de se localizar próxima a margem de um rio, encontra-se dentro de uma planície de inundação e de baixa declividade.

A segunda característica em questão foi o que impulsou a construção da estrutura hidráulica. A decisão foi tomada após a  população recusar à proposta de mudança do perímetro urbano de Porto Murtinho para uma área mais distante do Rio Paraguai.

O local em questão era a chamada 'Cidade de Lona', que ficava cerca de sete quilômetros, para onde ia a população quando as grandes cheias do rio inundaram toda a comunidade.

A cidade chegou a ficar submersa nas enchentes de 1979 e 1982 e o dique suportou a de 1988, considerada recorde.