Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

APÓS PARALISAÇÃO

Obra em paredão de desabou na Ernesto Geisel é retomada

Previsão é de que reparo nos dois lados da margem fique pronto até junho deste ano
02/04/2020 09:51 - Daiany Albuquerque


 

A Prefeitura de Campo Grande retomou as obras de reparo no paredão da margem direita, sentido centro/bairro, da Avenida Ernesto Geisel, que caiu devido as fortes chuvas no início deste ano. O reparo estava paralisado por conta do decreto municipal que proibia a atividade de construção civil na Capital.

De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese, as obras no local foram retomadas na quarta-feira (1º), apenas do lado direito da pista. O lado oposto, que caiu dias depois, também em função do abalo estrutural causado pela grande quantidade de chuva, só será recuperado após término das intervenções na pista centro/bairro.

“Estamos fazendo o aterramento do local, por isso só uma pista neste sentido está liberada. Esse processo deve demorar em torno de uma semana, depois que o aterro estiver pronto vem a parte da empresa”, declarou o secretário.

A Gimma Engenharia, empresa responsável pelo primeiro trecho da obra de revitalização da avenida, deverá recompor a parte da obra que já havia feito e que também foi levada pela chuva. Isso porque, segundo a Sisep, como ela ainda não havia entregue a obra, qualquer dano na mesma deve ser reparado sem custos adicionais. A empresa havia aumentado os paredões e feito o paisagismo e contenção por cima deles, além de ciclovia e um dos lados.

Depois desse reparo, ainda será feito o processo de atiramento nesse local, que é injetar concreto com aço por dentro da placa alcançando alguns metros dentro do solo. Essa etapa deverá ser feita por uma empresa, porque a prefeitura não tem maquinário necessário para este tipo de trabalho.

Conforme o secretário, a Sisep avalia a possibilidade de fazer um aditivo no contra da Gimma, para que realize também este processo. A previsão é de que todo esse processo fique pronto até o final deste mês.

Apenas quando o atiramento for concluído é que será iniciado o processo na outra margem, sentido bairro/centro. A previsão do secretário é que o processo todo dure cerca de um mês e que em junho os paredões estejam finalizados.

De acordo com a secretaria, quando o atiramento for feito, os paredões da avenida não devem mais dar problemas durante a chuva, porque esse aço injetado dentro do solo funcionará como uma retenção da barreira de cimento.

REVITALIZAÇÃO

O Governo Federal repassou em março mais R$ 600 mil do valor devido para as empresas Gimma Engenharia e Dreno Construções em março deste ano. O valor é referente a medições na obra de revitalização da avenida feitas no ano passado e que estavam atrasadas.

Com isso, segundo Fiorese, a dívida da União com as prestadoras de serviço cai para cerca de R$ 800 mil, porém, ainda não há previsão de quando esse recurso será pago.

A obra foi paralisada totalmente em setembro do ano passado, por conta da falta de repasse, e retomada em novembro, apenas pela Gimma, responsável pelo primeiro trecho, que manteve a obra em ritmo lento. O segundo e terceiro trechos, a cargo da Dreno Construções, estão paralisados e só serão retomados após o pagamento total dos dividendos por parte do Governo Federal.

Iniciada em fevereiro de 2018, a revitalização da Avenida Ernesto Geisel abrange trecho de quase dois quilômetros da via, atravessando os bairros Coophamath, Taquarussu, Jacy e Marcos Roberto. Paredões de gabião com até 9 metros de altura foram levantados para proteger as margens da erosão e evitar o transbordamento do rio que terá drenagem, ciclovia, urbanização e recapeamento das duas pistas. 

A obra total está orçada em R$ 48.497.999,21 e tinha previsão de término para no aniversário da cidade do ano passado, apenas no lote três que o prazo era maior, e seria entregue em agosto deste ano. Agora não há mais previsão estabelecida para a conclusão.

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.