Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NOVO REAJUSTE

Em dois anos, obra da Ernesto Geisel ficou R$ 4,7 milhões mais cara

Custo total da obra já chega a R$ 52,5 milhões
27/02/2020 10:24 - Eduardo Miranda


Um dos três contratos das obras de manejo de águas pluviais, controle de erosão e revitalização da Avenida Ernesto Geisel foi reajustado. Desta vez, o vínculo com a empresa Gimma Engenharia teve aumento de R$ 627,7 mil, com o custo final deste lote da obra passando de R$ 13,1 milhões para R$ 13,7 milhões. Em dois anos, os aditivos à obra já superam R$ 4,7 milhões. O custo total já atinge R$ 52,5 milhões.  

É o segundo termo aditivo ao contrato entre o município e a empresa. O primeiro foi para prorrogar o período da obra. Neste termo, também houve nova prorrogação: agora, a empresa tem até o dia 16 de abril para concluir os trabalhos.  

A Gimma engenharia executa as obras no trecho da Avenida Ernesto Geisel entre as ruas Santa Adélia e Abolição. Em frente ao Shopping Norte-Sul Plaza. O trecho é o que sofreu com a forte chuva do dia 20 deste mês, em que uma coluna não resistiu à enxurrada e foi abaixo. Apesar de a coluna ter sido construída há mais de uma década, ela está na parte onde a empreiteira executa as obras de paisagismo da avenida. 

 
 

OUTROS LOTES

Os outros dois trechos são executados pela Dreno Engenharia, empreteira que já teve o valor de seus dois contratos reajustados no ano passado. Um deles já passou dos R$ 13,4 milhões iniciais para R$ 14,8 milhões, e outro passou de R$ 21,9 milhões para R$ 24,6 milhões.  

Desde que as obras foram licitadas, os reajustes contratuais supera R$ 4,7 milhões. Os três lotes da revitalização da Avenida Ernesto Geisel enfrentam problemas financeiros: a falta de regularidade no repasse dos valores pelo governo federal, que financia os projetos. Durante todo o ano de 2019 os trabalhos seguiram a ritmo extremamente lento.  

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.