Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PRAZO

Obras na Ernesto Geisel serão retomadas em março

Dois trechos continuam parados e mesmo com repasse de R$ 740 mil retorno dos serviços será somente após fim do período de chuva
05/02/2020 10:00 - DAIANY ALBUQUERQUE


 

As obras de revitalização de parte da Avenida Ernesto Geisel, às margens do rio Anhanduí, em Campo Grande, devem ser retomadas em março, após o período de chuvas, de acordo com o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese.

A requalificação da região foi paralisada totalmente em setembro do ano passado, depois de o governo federal atrasar por três meses o pagamento da medição do serviço que havia sido feito. Em novembro a União chegou a repassar R$ 700 mil, que foi dividido entre as duas empresas que cuidam da obra, a Dreno Construções – Eireli EPP e a Gimma Engenharia Ltda.

Como a dívida do governo com as construtoras continuava grande, apenas a Gimma aceitou retomar o projeto. Ela estava responsável pelo primeiro trecho da obra, entre as ruas Santa Adélia e Abolição. Apesar de ritmo lento, as obras estão sendo realizadas desde então.

Já os trechos 2 e 3 da revitalização, da Rua da Abolição até a do Aquário, estão a cargo da empresa Dreno Construções – Eireli EPP. Entretanto, como no final do ano passado o Governo Federal enviou repasse de R$ 740 mil, a empreiteira deverá retomar suas atividades.

“Ainda não pagou tudo, resta um pouco mais de R$ 1 milhão de medidas passadas, que deve ser dividido entre as duas, mas agora já dá para retomar todos os trechos”, explicou Rudi. 

O valor que ficou em atraso era referente aos meses de julho, agosto e setembro. Das obras na região, segundo o secretário, 60% está concluída – 75% do primeiro lote, 55% do segundo e 50% do terceiro lote –, sendo investidos até agora total de R$ 29.416.122,52 nos três trechos. 

Segundo o secretário, apesar do dinheiro já estar disponível no caixa da prefeitura, devido ao final de ano o sistema estava fechado para balanço e só foi reaberto no dia 20 de janeiro, então esse repasse deve ser feitos às empresas nos próximos dias.

As obras no trecho entre a Rua da Abolição e Santa Adélia, entretanto, deve demorar um pouco mais para começar, já que o local depende de uma readequação na tubulação do esgoto, que será feita pela Águas Guariroba, concessionária de tratamento e abastecimento de água e esgoto de Campo Grande.

Por meio de sua assessoria de imprensa a empresa informou que o remanejamento no local será de 1,3 km de rede de esgoto, na margem esquerda do córrego Anhanduí (sentido bairro/centro). “No momento, a concessionária está em processo de contratação da empresa que ficará responsável pela realização das obras. Além da seleção, já está em trâmite as licenças para a realização da obra”, detalhou. A obra, porém, só terá início após o período de chuvas.

O serviço é necessário porque, segundo o superintendente de Obras da Sisep, Francisco Torres Martins, a tubulação está muito próxima da margem e quando forem feitas escavações para a construção do gabião que margeia o rio a estrutura pode se romper e derramar esgoto no Anhanduí. A previsão é de que a mudança seja feita de 60 a 90 dias, só então o local poderá passar pela qualificação prevista.

“Pode-se fazer alguns serviços básicos, isso tem como começar, mas a parte do recapeamento, por exemplo, só depois dessa obra mesmo”, informou Fiorese. A tubulação deverá ser afastada a cerca de cinco metros da margem, completou o secretário.

Iniciada em fevereiro de 2018, a revitalização da Avenida Ernesto Geisel abrange trecho de quase dois quilômetros da via, atravessando os bairros Coophamath, Taquarussu, Jacy e Marcos Roberto. Paredões de gabião com até 9 metros de altura foram levantados para proteger as margens da erosão e evitar o transbordamento do rio que terá drenagem, ciclovia, urbanização e recapeamento das duas pistas.

A obra total está orçada em R$ 48.497.999,21 e tinha previsão de término para no aniversário da cidade do ano passado, apenas no lote três que o prazo era maior, e seria entregue em agosto deste ano. Ainda não há previsão estabelecida para a conclusão.

Área crítica da via passou por obra ontem (Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado)

Trecho é recuperado

Após placas do muro de contenção do Córrego Segredo desabarem devido a grande quantidade de chuva dos últimos dias, a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep) reconstruiu a área. 

“Foi a chuva, ali nós já fizemos várias vezes. A água vem por cima, começa a entrar por trás da placa e acaba derrubando. Na sexta-feira (31) caiu uma placa da parede do canal”, contou o titular da pasta, Rudi Fiorese. O trecho fica na Avenida Ernesto Geisel, próximo da obra do Centro de Belas Artes, na região do Bairro Cabreúva.
Segundo ele, essa não foi a primeira vez que o trecho apresenta problemas. “Ali é uma região crítica, que vem muita curva, muita água das ruas dali de perto. Já tivemos problema no ano passado, este ano, mas isso a gente faz com as nossas equipes de manutenção mesmo”.

Reportagem do Correio do Estado de março de 2019, mostrou os desmoronamento da região. O trecho era um dos seis pontos de desabamento pela cidade e um dos três apenas na avenida.
 

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo....