Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRÂNSITO

Por R$ 4 milhões, obras na Rua Bahia interditam metade da pista

Pelos próximos dois meses, tráfego vai ocorrer em só uma faixa
21/05/2020 12:16 - Gabrielle Tavares


Obras na Rua Bahia, em Campo Grande, vão interditar metade da pista pelos próximos dois meses, no trecho de três quadras a partir do cruzamento com a Avenida Mato Grosso. Começaram a implantar na quarta-feira (20), 419,55 metros de tubulação, a uma profundidade de 5 metros, que se estenderá até a Rua Eduardo Santos Pereira. O investimento previsto é de R$ 4,35 milhões, recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade e contrapartida da Prefeitura.

A rede vai seguir 137 metros para se conectar com a drenagem existente na Rua Rio Grande do Sul. A intervenção vai eliminar alagamentos que ocorrem em um trecho da Rua Santos Pereira. Quando a tubulação atravessar a Avenida Mato Grosso, será preciso interditar cruzamento sentido centro/pista. Por enquanto, o tráfego está mantido, mas exigindo atenção dos motoristas. A Rua Bahia será recapeada ao longo de 1,75 km, desde a Avenida Afonso Pena até onde se encontra com a Avenida Coronel Antonino.

Também será implantada um corredor de transporte coletivo, na faixa à esquerda, com 4 estações de pré-embarque ao longo da pista, nas esquinas com as ruas da Paz, Antônio Maria Coelho, das Garças e Amazonas. O corredor vai reduzir em 20% o tempo de viagem no trajeto dos ônibus entre os terminais General Osório e Nova Bahia, centro-bairro e bairro-centro.

No trecho da Afonso Pena até a Mato Grosso foram feitos 1,345 km de recapeamento e 379 metros de drenagem.

 
 

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.