Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

SOCORRO

Cras inicia atendimento às duas onças-pintadas vítimas de incêndios na Serra do Amolar

Animais chegaram ao centro na tarde desta terça e devem passar por exames e cuidados médicos
03/11/2020 15:51 - Rodrigo Almeida


Duas onças-pintadas macho adultas, vítimas do fogo na região da Serra do Amolar, no Pantanal, chegaram ao Centro de Reabilitação de Animais Silvetres (Cras), na tarde desta terça-feira (03). 

As onças foram encontradas por voluntários que combatiam o incêndio e estavam cercadas pelas chamas. 

Segundo informações oficiais, os animais estavam muito debilitados e desidratados e não puderam se recuperar sozinho, mesmo com o fornecimento de carne e água pelos primeiros socorristas. 

De acordo com a Coordernadora do Cras, Dra. Aline Duarte, “as onças estavam na região da Serra do Amolar e foram resgatados pelo Gretap [Grupo de Resgate Técnico Animal do Pantanal]”. 

A missão agora, segundo ela, "é estabilizar e salvar". O passo seguinte é fazer uma bateria de exames e tentar reabilitá-los para a natureza. 

Aline Duarte explica que serão feitos hemograma, ultrassom, raio x e uma tomografia, que segundo ela foi fornecida por um parceiro. 

A Coordenadora relembra que até agora um tamanduá, uma cotia, e uma anta foram vítimas dos incêndios no Pantanal e necessitaram dos serviços do Cras/MS. Apenas a anta não conseguiu se reabilitar. 

 
 

O fato de serem dois machos adultos no mesmo território não espanta os especialistas do Cras. “Mesmo sendo dois machos, é bem provável que sejam irmãos. Felinos têm uma relação parental diferente, tendem a conviver próximos e reconhecem a família”, afirma o guarda-parque, Luciano Ibanhes. 

Segundo ele, outra diferenciação é que as pintadas ficam mais tempo sob os cuidados da mãe do que as onças-pardas. “Elas passam dois anos, no terceiro, eles ganham a independência e vivem por conta própria". 

Com a volta das chuvas no mês de outubro, a seca que assolou Mato Grosso do Sul deu uma trégua para o combate às queimadas no Pantanal. 

De acordo com o Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais (Lasa), do Departamento de Meteorologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, até o ápice da crise, no final de setembro, cerca de 21% do bioma já havia queimado.

 

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!