Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MAIO AMARELO

Operação da PRF tem foco na redução de acidentes para diminuir ocupação de leitos

Início do Movimento Maio Amarelo coincidiu com operação Dia do Trabalho e tem fiscalização intensificada nas rodovias
01/05/2020 17:05 - Glaucea Vaccari


 

Nesta sexta-feira (1º), iniciou-se o movimento Maio Amarelo, que tem como objetivo a redução da violência no trânsito. Nas rodovias federais de Mato Grosso do Sul, a Polícia Rodoviária Federal intensificou a fiscalização, com policiamento e ações de conscientização.  

Segundo a PRF, a preservação da vida sempre é o foco, mas no atual cenário, a redução no número de acidentes contribui diretamente na disponibilidade de leitos em hospitais, medida de extrema relevância no atual contexto de emergência de saúde pública.

Neste ano, como o feriado de Dia do Trabalhador caiu em uma sexta-feira, emendando com o fim de semana, as ações começaram com o desencadeamento da Operação Dia Mundial do Trabalho 2020,  que segue até às 23h59 de domingo.  

Devido a pandemia do novo coronavírus e as medidas de isolamento social, é esperado uma redução no fluxo de veículos, mas a operação segue com foco na conscientização e redução de acidentes com alto índice de feridos e mortos.  

Durante os quatro dias de operação, os policiais rodoviários federais concentram em locais e horários de maior incidência de acidentes graves e de criminalidade, de acordo com as estatísticas e análise do órgão. No Estado, são 3.652 quilômetros de rodovias federais, com pontos onde serão feitas abordagens e fiscalizações, seguindo medidas que garantam a segurança dos policiais e motoristas, também contra a Covid-19.

Neste ano, o tema do movimento Maio Amarelo é “Perceba o Risco. Proteja a Vida”. 

 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.