Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Operadora é condenada a indenizar em R$ 10 mil cliente que caiu em golpe no WhatsApp

Conta de amiga foi clonada por estelionatário, que pediu dinheiro à vítima
10/05/2020 09:43 - Adriel Mattos


A 7ª Vara Cível de Campo Grande condenou uma operadora de telefonia móvel a indenizar uma mulher vítima de golpe no aplicativo de mensagens WhatsApp. Além de ressarcir o prejuízo de R$ 2 mil, a companhia deverá pagar uma indenização de R$ 8 mil a título de danos morais.

Conforme os autos do processo, a vítima recebeu uma mensagem de uma amiga, em 19 de junho de 2018, pedindo uma transferência de dinheiro. Sem saber que conta da amiga havia sido clonada por um estelionatário, a mulher reuniu suas economias, transferindo R$ 2 mil para uma conta informada pelo criminoso.

Ela só percebeu que se tratava de um golpe quando leu os alertas de outras amigas em um grupo. A defesa da mulher sustenta na ação que o golpe foi possível por ato da operadora, que teria alterado a titularidade da linha da amiga sem a autorização da mesma.

Por sua vez, os advogados da companhia alegaram que tomou todas as precauções necessárias à prestação de serviços que desempenha e que apenas realiza serviços de comunicação, sendo o aplicativo WhatsApp responsável pelo ocorrido. Defenderam ainda não ver razão para indenização.

 
 

Em sua decisão, a juíza Gabriela Müller Junqueira discordou dos argumentos da defesa. “Em que pese a ré não ter relação ou ingerência com o aplicativo WhatsApp, verifica-se que o uso da plataforma pelo fraudador só foi possível mediante intervenção da operadora, que viabilizou a transferência da titularidade da linha para terceiro (golpista), sem a autorização do seu real proprietário”, escreveu.

Para a magistrada, a situação poderia ser esclarecida pela empresa, que possui acesso às movimentações realizadas na linha telefônica na data e horário descritos, especialmente se tratando de desabilitação do chip em determinado aparelho e habilitação em outro. Assim, completa Gabriela que, “se a requerida não adotou todas as cautelas necessárias para evitar a fraude, assumiu o risco de produzir o resultado lesivo que é plenamente imputado à atividade que desempenha”. A juíza julgou também procedente o pedido de danos morais, pois a mulher teve sua confiança na operada quebrada, causando diversos transtornos e aborrecimentos, inclusive de ordem financeira.

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.